segunda-feira, 23 de maio de 2011

Mais de 70 mil pessoas participam de cerimônia de beatificação de Irmã Dulce, em Salvador

Milhares de pessoas celebram ontem, 22, em Salvador (BA), a beatificação de irmã Dulce. A religiosa dedicou sua vida a ajudar os pobres e excluídos, passando a ser chamada de Anjo Bom da Bahia. A solidariedade aos carentes e o reconhecimento de um milagre levaram a freira a ser proclamada beata, o que a deixa mais próxima de se tornar santa.

A cerimônia, iniciada às 17 horas, no Parque de Exposições de Salvador, foi acompanhada por 77 mil pessoas (dados da polícia militar da Bahia) e diversas autoridades, entre elas, a presidente da República Dilma Rousseff, o governador da Bahia, Jaques Wagner e o presidente do Senado, José Sarney. O rito foi conduzido pelo cardeal dom Geraldo Majella Agnelo, representando o papa Bento XVI. Com a beatificação, a religiosa passou a ser chamada de “Bem-Aventurada Dulce dos Pobres”.

Como beata, um grande quadro com o retrato da religiosa foi mostrado ao público, que agitou lenços e cantou em homenagem à freira baiana, que morreu há 19 anos.

beatificacao3irmadulceO processo de canonização começou em 2001. Em 2003, a Santa Sé emitiu validação jurídica do milagre atribuído à freira. Irmã Dulce intercedeu por uma mulher, no estado de Sergipe, que sofreu grave hemorragia após o parto, em 2001. Em 2009, o papa Bento XVI concedeu o título de venerável à freira baiana, reconhecimento de que viveu de forma heroica as virtudes da fé cristã, caridade e esperança. O feito foi investigado por peritos médicos e teólogos.

No ano passado, a Congregação para a Causa dos Santos certificou a autenticidade do milagre atribuído à irmã Dulce, última etapa para a beatificação. Em dezembro de 2010, o papa promulgou o decreto de beatificação. Após o decreto, deu-se início o processo para a santificação. Para ser considerada santa mais um milagre deve ser constatado.

Filha do dentista Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes, Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, irmã Dulce, nasceu em 26 de maio de 1914, na capital baiana. Aos sete anos, a mãe morreu. Na adolescência, já dava sinais da vocação para ajudar os excluídos, acolhendo mendigos e doentes em sua casa.

beatificacao1irmadulceEm 1933, ingressou na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no município sergipano de São Cristovão. Aos 20 anos, foi ordenada freira e adotou o nome de irmã Dulce, em homenagem à mãe.

Em Salvador, prestava assistência à comunidade pobre de Alagados, ajudou na fundação de uma associação católica de operários e também de uma escola para filhos dos operários. No início da década de 50, a freira usava o galinheiro do convento para abrigar doentes – foi o começo da Associação Obras Sociais Irmã Dulce, criada oficialmente em 1959. Depois, fundou o Convento Santo Antônio.

Em 1988, foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz. Com a saúde extremamente debilitada, a religiosa morreu em 1992, com 77 anos de idade. Com o processo de canonização, os restos mortais foram levados para a Capela do Convento Santo Antônio. Depois de receber o título de venerável, foram transferidos para a Capela das Relíquias, ambos em Salvador.

Palavra do Papa

O papa Bento XVI lembrou a beatificação de irmã Dulce, durante a tradicional Oração Regina Coeli. Num discurso em português, o papa chamou a religiosa baiana de “mãe dos desamparados”.

“Desejo também unir-me à alegria dos pastores e dos fieis congregados em Salvador para a beatificação da irmã Dulce Lopes Pontes, que deixou para trás uma prodigiosa pegada de caridade a serviço dos mais pobres, fazendo com que todo o Brasil visse nela a mãe dos desamparados”, disse Bento XVI.

Fonte: Site da CNBB

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Equipes da Escola da Juventude 2011-2013

Oi povo! Sábado passado, a Coordenação Arquidiocesana, Assessoria e Equipes da Escola se reuniram e fizerem algumas modificações. Segue no final. a lista completa com os nomes e as respectivas equipes.

Próxima reunião pra se tratar deste assunto será dia 04/06, às 10hs, na Casa São Paulo Apóstolo.

As pessoas com o nome em negrito são as responsáveis pela equipe e devem convocar reuniões com as outras pessoas da equipe e chamar para as reuniões gerais sobre a Escola.

No caso, essa reunião do dia 04/06 deve ser comunicada pelos representantes das equipes pra os outros.

Alimentação:

Rejane (Ouriçangas), Carlos (Feira), Íris (Ouriçangas), Juninho (Feira),

Dal (Feira), Joilma (Ouriçangas), Andrea (Ouriçangas)

Mística:

Tiago (São Gonçalo), Aninha (Irará), Daniel (Amélia), Lucicleide (São Gonçalo)

Acolhida e Limpeza:

Edna (Feira), Joelma (Feira), Rafaela (Ouriçangas), Luziane (Feira),,

Pedrinho (Feira), Erik (Amélia), Betinho (Feira), Neide (Feira),

Secretaria:

Camila (Feira), Jeane (Feira), Sirleane (Feira), Luciana (Feira), Cris (Feira)

Escuta:

Padre Julio (Feira), Elis (Feira), Neide (Feira), Márcio (Feira)

Finanças: Coordenação Geral

Comunicação: Erik, Lázaro, Márcio


Só isso !!

Paz e Bem!!

Tríduo da Cidadania: “A Juventude quer viver”!

PASTORAL DA JUVENTUDE

PARÓQUIA IMACULADA CONCEIÇÃO

ARQUIDIOCESE DE FEIRA DE SANTANA.

Pai/Mãe da Juventude, Tu sabes o quanto gostamos de viver, de sonhar, de brincar, de namorar e de fazer tantas coisas boas. Não permita que roubem de nós esses direitos tão essenciais”. (Oração da Campanha Nacional Contra Violência e o Extermínio de Jovens)

Queremos viver. Chega de ceifar nossos sonhos. Chega de ferir nossos direitos. Não agüentamos mais tantas vidas derrubadas pelas mais variadas formas de violência. Queremos ser jovens livres, respeitados (as), no nosso jeito jovem de ser e poder sonhar com a vida.

Mas me digam vocês, como sonhar com tanta violência? Como sonhar sem emprego? Como construiremos uma sociedade diferente se há poucas referências de luta e de amor? É preciso olhar e refletir essa realidade. Por esta razão convidamos todos (as) a participar do Tríduo da Cidadania: “A Juventude quer viver”.

Queremos com esta iniciativa refletir sobre a dor e a delícia de ser jovem, mas também, reconhecer as alternativas de enfrentamento construídas pela juventude que se organiza e está atenta a tanto descaso com a causa juvenil.

Contamos com a presença de cada um e cada uma para esse debate necessário. E que o Deus da Vida seja nossa força!

PROGRAMAÇÃO

Abertura: Sábado dia 21/05/2011

Noite cultural

· Grupo Musical Timbauê (Pablo, Xande e Edy)

· Tema: “A dor e a delicia de ser jovem” Marcio Macico

· Apresentação de dança

Local: Salão Paroquial Imaculada Conceição

Horário: 18:00h

Domingo dia 22/05/2011

Encontrão da Juventude (pela manhã)

Tema: relação do jovem consigo mesmo, com o outro e com a natureza.

· Reflexão sobre jovem e projeto de vida

· Animação com Banda Coração Livre

Local: Salão Paroquial Imaculada Conceição

Horário: 08:00h

Missa da Juventude (à noite)

Segunda: dia 23/05/2011

Mesa: Juventudes e Violências: Um debate necessário

Convidados (as):

· Felipe Freitas, membro da Coordenação nacional contra a violência e o extermínio de jovens

· Elis Souza, militante da Pastoral da Juventude

· Hildete Emanuele, professora e secretária nacional da Pastoral da Juventude 2008-2010.

· Júlio Cesar Santa Barbara, padre referencial da Pastoral da Juventude Diocesana

Local: Salão Paroquial Imaculada Conceição

Horário: 18:30

CONTATOS:

Neide Santos (75) 9138-9742

Ir. Maria: (75)3624-4724

Edvan Santos: (75)8175-4507

Catiane Araripe (75)9178-6556

Nailton Santos (75) 8824-6843

Betinho: (75) 8195-4528

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Comissão Episcopal para a Juventude

Foi eleito na manhã de hoje, 12, o presidente da recém-criada Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude. O escolhido foi o atual responsável pelo Setor Juventude da CNBB, dom Eduardo Pinheiro da Silva, que é bispo auxiliar de Campo Grande (MS). A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude é uma nova Comissão, desmembrada da Comissão Episcopal para o Laicato.


Autor/Fonte: Blog da CNBB - http://www.blogdacnbb.com

terça-feira, 10 de maio de 2011

Cardeal Raymundo Damasceno é o novo presidente da CNBB


O arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis foi eleito o novo presidente da CNBB. Com 196 votos, dom Damasceno foi eleito no segundo escrutínio. O cardeal de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer ficou em segundo lugar, com 75 votos.

No primeiro escrutínio, dom Damasceno havia obtido 161 votos contra 91 de dom Odilo. Por não ter alcançado 2/3 dos votos (182), houve a necessidade do segundo escrutínio. Dom Damasceno foi secretário da CNBB por dois mandatos consecutivos (1995-1998; 1999-2003).

Na primeira votação, também receberam votos o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta (14); o arcebispo de São Luís (MA), dom José Belisário da Silva; o arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom walmor Oliveira de Azevedo; o bispo de Jundiaí (SP), dom Vicente Costa; o bispo da prelazia de São Felix (MT), dom Leonardo Steiner e o bispo de Cruz Alta (RS), dom Friederich Heimler, com um voto cada.

No segundo escrutínio, receberam votos o arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta (4) e o bispo de Santo André, dom Nelson Westrupp (1).

Amanhã as eleições continuam para vice-presidente e secretário. Eleitos os membros da Presidência, a Assembleia escolherá os 12 presidentes das Comissões Pastorais e o delegado da CNBB junto ao Conselho Episcopal da América Latina e Caribe (Celam).


domingo, 8 de maio de 2011

Mãe Imaculada


Durante todo o mês de maio nossas comunidades católicas do mundo inteiro cantam a “Ladainha de Nossa Senhora”. Entre os títulos com os quais a Virgem Maria é invocada está aquele de “Mãe Imaculada”. Nesta invocação está presente a singularidade da maternidade da Maria: sua total ligação e dependência do mistério de Cristo. O já Beato João Paulo II, quando governava reinante na Cátedra de Pedro escrevera: “Só no mistério de Cristo se esclarece plenamente seu mistério (de Maria). Foi assim, de resto, que a Igreja, desde o princípio, procurou fazer sua leitura: o mistério da Encarnação permitiu-lhe entender e esclarecer cada vez melhor o mistério da Mãe do Verbo Encarnado” (Redemptoris Mater, n. 4).

O Autor Sagrado, no livro do Gênesis, havia prefigurado a ligação intrínseca entre a salvação do gênero humano e a maternidade da Imaculada, mostrando a vitória desta em contraposição à vergonhosa derrota de Eva, “mãe dos viventes”. Diz o texto sagrado em Gn 3, 15: “Ela te esmagarás à cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. Sendo a Virgem Maria, desde sempre, Mãe Imaculada, teologicamente, a tradução mais coerente é aquela apresentada por S. Luiz Maria G. de Montfort: “Ela(Maria e sua descendência, isto é, o Cristo total: Cabeça e membros, que constituem a única Igreja)te esmagará a cabeça, e tu armarás ciladas ao seu calcanhar” (Tratado da Verdadeira Devoção, n. 51). Note-se bem: uma coisa é ferir o calcanhar, outra, bem diferente, é “armar ciladas”.

S. Luiz de Montfort – que não era um piedoso ingênuo, como alguns pensam, mas um teólogo muito bem preparado – sabia que a Mãe de Deus jamais poderia ser ferida com qualquer mancha ou gota do veneno da Antiga serpente. O demônio pode até lançar sua fumaça maldita no Santuário de Deus, como vez por outra vemos acontecer, mas a Mãe Imaculada é intacta e, por causa de Cristo e da sua íntima união com ele, Satanás não ousou aproximar-se para tentá-la. Se o próprio Cristo foi tentado deve-se ao fato de ser necessário redimir o homem em todas as suas debilidades. Como dizem os Santos Padres “foi tentado para nos ensinar a vencer as tentações”. Mas Maria foi “salva” por privilégio e graça singular não podendo passar pelas tentações, uma vez que o Pai a preservou desde o exato momento de sua concepção. Aquilo que os Santos, remidos pelo sangue do Cordeiro, recebem na Glória, Maria recebeu desde a sua geração: a impossibilidade do contágio do mal.

Esta é a Mãe do Redentor, esta é a Mãe da humanidade. Em tempos difíceis para a Igreja, o modelo e a intercessão da Mãe Imaculada devem ser uma constante em nossa vida. Depois de Jesus, só ela pode nos ensinar o caminho certo, seguro e decidido para esmagar a cabeça de Satã seja qual for a sua veste nestes dias. O filme “o Ritual” mostra que ele não está parado, e a história da Igreja comprova suas infernais investidas. Mãe Imaculada, Rogai por nós!

Padre José Lenilson de Morais, pároco da Igreja de Nossa Senhora do Ó, em Nísia Floresta (RN), Arquidiocese de Natal

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Assembleia da CNBB aprova criação da Comissão para a Juventude

Os bispos que participam da 49ª Assembleia da CNBB acabam de aprovar a criação de uma Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude. Com a decisão, os assuntos de juventude que eram tratos num dos Setores da Comissão para o Laicato ficam sob a responsabilidade da nova Comissão.

A proposta de uma Comissão exclusiva para a Juventude foi um pedido dos bispos referenciais da Juventude nos 17 regionais da CNBB e defendida na Assembleia pelo bispo auxiliar de Campo Grande (MS), dom Eduardo Pinheiro, atual responsável pelo Setor Juventude da CNBB.

Um dos principais argumentos usados por dom Eduardo foi a opção da Igreja no Brasil pela urgente evangelização da juventude, expressa no Documento 85 da CNBB “Evangelização da Juventude”.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Beatificação de João Paulo II

joao_paulo_21milhaoMais de um milhão de pessoas participaram hoje, dia 1º de maio, da beatificação de João Paulo II, uma das maiores da história da Igreja. O evento histórico não tem precedente, já que nos últimos mil anos nenhum papa proclamou seu antecessor como beato. A celebração de hoje ganha destaque especial também por ser o Domingo da Divina Misericórdia, festa criada por João Paulo II, particularmente devoto e ligado à santa polonesa Faustina Kowalska, religiosa falecida em 1938 e canonizada pelo próprio João Paulo II em 30 de abril de 2000.

A data escolhida para a beatificação é a celebração litúrgica mais próxima da morte de João Paulo II, que faleceu na véspera da festa da Divina Misericórdia em 2005, celebrada anualmente no primeiro domingo depois da Páscoa.

Abentoxviproclamendobeatoo entrar na Praça de São Pedro, o papa Bento XVI foi acolhido pela multidão que o saudou em sua passagem com o papa-móvel. A cerimônia começou com o pedido formal de beatificação feito pelo cardeal Agostino Vallini, vigário-geral do papa para a diocese de Roma, que leu também a biografia de João Paulo II. Ao seu lado, estava o postulador da causa, monsenhor S³awomir Oder.

Em seguida, Bento XVI recitou fórmula de beatificação em latim, fazendo o anúncio da data da festa litúrgica em 22 de outubro, (dia da primeira missa de seu pontificado) e foi mostrada uma grande foto que retrata Karol Wojtyla, em 1995. A partir daquele momento, a Igreja católica ganhou um novo beato: o bem-aventurado João Paulo II.

“Hoje diante dos nossos olhos brilha, na plena luz de Cristo ressuscitado, a amada e venerada figura de João Paulo II. Hoje, o seu nome junta-se à série dos Santos e Beatos que ele mesmo proclamou durante os seus quase 27 anos de pontificado, lembrando com vigor a vocação universal à medida alta da vida cristã, à santidade”.

Um interminável aplauso, comoção, lágrimas nos olhos de fieis de todas as idades, cantos e abraços inundaram a Praça, que explodiu de alegria.

caixaojoaopauloiiIrmã Tobiana, uma das mais próximas colaboradoras de João Paulo II, e Irmã Marie Simon Pierre, a religiosa francesa que recebeu a graça por sua intercessão e foi curada do mal de Parkinson, levaram as relíquias ao altar: uma pequena ampola contendo o sangue do beato João Paulo II. O caixão com os restos mortais de João Paulo II ficará exposto hoje para veneração, até o último devoto, na Basílica de São Pedro.

“João Paulo II era reconhecidamente um líder mundial, um líder da Igreja que teve influência muito forte nos rumos que a Igreja tomou nas últimas décadas. Também o momento de sua longa enfermidade, a forma edificante e exemplar como ele enfrentou esta enfermidade: ele não se retraiu, continuou fazendo tudo aquilo que era possível, mesmo sofrendo visivelmente. Isto gerou no povo comoção, um sentimento de admiração pela forma como enfrentou a enfermidade e no momento decisivo de sua morte. Ele era naturalmente querido pelo povo, se dava muito bem com as multidões, com a juventude. Por isso, sua morte gerou grande comoção no mundo católico, mas não só, e isso levou as pessoas a fazerem este pedido na Praça São Pedro. Ache que refletia o que era o ‘sentir’ da Igreja: estamos diante de um homem santo, alguém que viveu o significado da santidade profundamente”, disse o representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) na beatificação de João Paulo II, cardeal dom Odilo Pedro Scherer.

Autor/Fonte: cnbb.org.br

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Equipes de Trabalho da EJHEC

Olá pjoteiros e pjoteiras!!

A nossa Escola da Juventude Arquidiocesana está próxima de iniciar a sua 5ª Turma.
A Coordenação Arquidiocesana, juntamente com a Assessoria não esqueceram de nomes,
para ajudar nessa construção que beneficia a nossa Pastoral da Juventude!!

Pra falar sobre isso, iremos ter uma reunião neste sábado (07/05),
ás 8hs, na Casa Paulo Apóstolo.

Seguem portanto as equipes de trabalho na Escola, em que o vosso nome poderá está inserido!!

Alimentação:
Rejane (Ouriçangas), Carlos (Feira), Íris (Ouriçangas), Juninho (Feira), Dal (Feira), Joilma (Ouriçangas), Andrea (Ouriçangas)

Mística:
Tiago (São Gonçalo), Neide (Feira), Aninha (Irará), Daniel (Amélia)

Acolhida e Limpeza:
Edna, Joelma (Feira), Rafaela (Ouriçangas), Luziane (Feira), Lucicleide (São Gonçalo),
Pedrinho (Feira), Erik (Amélia), Betinho (Feira)

Secretaria:
Camila (Feira), Jeane (Feira), Sirleane (Feira), Luciana (Feira), Cris (Feira)

Escuta:
Padre Julio (Feira), Elis (Feira), Neide (Feira), Márcio (Feira)

Finanças: Coordenação Geral

Comunicação: Erik, Márcio e Lázaro

Quem mais quiser se inserir é só responder esse scrap, colocamos inicialmente
alguns nomes da turma anterior da Escola, Coordenação e Assessoria.

Repassem pras pessoas ki vc conhece, que tão na lista!!!
Paz e Bem!!

Quem se identifica com a PJ consegue fazer a experiência de um Deus vivo

A Pastoral da Juventude tem uma história, uma espiritualidade e uma beleza que marcam as vidas de muitos jovens e muitas jovens. Nossa proposta não arrasta multidões e nem aglomera milhões de jovens, mas os poucos que se identificam conseguem fazer através do nosso jeito de ser Igreja uma experiência de um Deus vivo que nos dá a alegria de viver e de constrir o Reino de Deus aqui e agora.

Não é fácil ser e fazer pastoral nos dias de hoje, porque enquanto a sociedade prega o individualismo, o consumismo e o prazer momentâneo, nós estamos buscando a construção da tão sonhada civilização do amor, onde o ser humano seja tratado com justiça e com respeito, onde não haja espaço para a solidão e nem para o isolamento e acima de tudo onde cada um e cada uma possa fazer a experiência do encontro pessoal com Jesus Cristo e sabemos que este encontro não acontece de forma tão rápida, por essa razão continuamos acreditando no caminho do processo de educação na fé.

Sabemos que em tudo que fazemos encontramos dificuldades, mas elas jamais poderão abafar ou matar a nossa utopia e a nossa esperança. Não deixem de acreditar no novo, de acreditar na juventude, reconheçam os desafios, mas se alegrem com as luzes, com as sementes boas e com a terra que pode dar frutos.

Autor/Fonte: Hildete Emanuele - Secretária Nacional da PJ (2008-2010)