sexta-feira, 25 de março de 2016

Papa lava os pés de refugiados: somos todos filhos do mesmo Pai!

Castelnuovo di Porto (RV) – O Papa deixou o Vaticano na tarde desta Quinta-feira Santa para ir até o norte de Roma onde, na presença de mais de 800 requerentes de asilo, celebrou a Missa da Ceia do Senhor com o Rito do Lava-pés.
A pequena cidade de Castelnuovo di Porto abriga os refugiados que chegam à Itália e permanecem no Centro de Acolhida até obter os documentos para viver legalmente no país.
Em sua homilia feita sem texto preparado, Francisco falou de dois gestos: Jesus que lava os pés aos seus discípulos e Judas que, por 30 moedas, entrega Jesus aos inimigos. "Também hoje aqui existem dois gestos", destacou o Papa:
Integração
“Este: todos nós, juntos, muçulmanos, hindus, católicos, coptas, evangélicos, mas irmãos, filhos do mesmo Deus, que queremos viver em paz, integrados”.
Ao lembrar os atentados terroristas em Bruxelas – “um gesto de guerra, de destruição”, – Francisco recordou que por trás dos camicazes haviam outros interesses.
“Atrás daquele de gesto estão os traficantes de armas que querem o sangue, não a paz, que querem a guerra, não a fraternidade”.
Para contrastar o terrorismo, Francisco citou a reunião de todos – “de diversas religiões, diversas culturas, filhos do mesmo Pai” – para celebrar a Ceia do Senhor contra “aqueles que compram as armas para destruir a fraternidade”. Neste ponto, o Papa recordou as dificuldades enfrentadas pelos refugiados:
Coração aberto
“Este é o gesto que eu faço com vocês: cada um de nós tem uma história, cada um de vocês tem uma história, tantas cruzes e dores, mas também um coração aberto que quer a fraternidade”.
Antes de passar ao Rito do Lava-pés, Francisco pediu que cada um, na sua língua, “rezasse ao Senhor para que esta fraternidade se espalhe pelo mundo”:
“Para que não existam as 30 moedas para matar o irmão, para que sempre exista a fraternidade e a bondade. Assim seja!”, concluiu o Pontífice. 
Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 23 de março de 2016

Pastorais da Juventude divulgam material da Semana da Cidadania 2016

Cartaz oficial da Semana da Cidadania 2016
Estamos na Semana Santa! Tempo de celebrar de forma intensa o mistério pascal de Cristo. Porém, a Páscoa, que será celebrada no próximo domingo (27), se estende por mais 50 dias de festa e memória. É durante este tempo que acontece a Semana da Cidadania: de 16 a 23 de abril. Os grupos de jovens de todo Brasil já podem conhecer o subsídio e preparar os trabalhos. A Semana da Cidadania tem como lema: “Unidos/as por uma luta comum: terra, teto e trabalho” e iluminação bíblica: “Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados” (Mt 5, 6). Confira AQUI o material preparado pela Pastoral da Juventude (PJ), Pastoral da Juventude Rural (PJR), Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) e Pastoral da Juventude Estudantil (PJE).
As inspirações para a temática das Atividades Permanentes de 2016 (Semanas da Cidadania e do Estudante) vêm do grito do Papa Francisco por “terra, teto e trabalho”. A expressão foi presente em seus discursos por mais de uma vez, mas teve destaque no Encontro Mundial dos Movimentos Populares, realizado em julho de 2015 na Bolívia. A Iluminação Bíblica de Mateus ajuda a rezar essa luta que tem como horizonte a justiça plena do Reino.
Segundo os jovens que participaram da construção do material, a reflexão também passa pelo cuidado com a “Casa Comum”, tão lembrada na Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, bem como na encíclica “Laudato Si”. Dialogando com essa proposta a Semana do Estudante, que ocorrerá entre 6 e 13 de agosto de 2016, terá como tema: Juventude e direito à educação, lema: Educação libertadora constrói nossa Casa Comum e iluminação bíblica: “E a Verdade libertará vocês” (Jo 8, 32b). Os materiais (cartaz e subsídio) dessa atividade serão divulgados a partir de maio.

Baixe o material no link: https://drive.google.com/a/pj.org.br/file/d/0B2hn78YHSoiIaGwzU2NwT2RXb0E/view 
Fonte: Pastoral da Juventude Nacional

domingo, 20 de março de 2016

Carta Aberta da Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude sobre o momento atual do país


Sem título-23
“Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”
(Am 5, 24)

VER
O Brasil vive, em sua recente história, um dos momentos de maior tensão política e social. Além das graves denúncias de corrupção, que se espalham pelo país, a nação vive uma instabilidade institucional, ocasionada por uma grave crise política. Somadas ao sensacionalismo midiático, aos discursos de setores da burguesia e, ainda, uma direita política conservadora, o cenário é de uma exacerbação de raiva e ódio.
Somado a isso, sentimos na pele atentados aos direitos conquistados e ameaças a outras conquistas. Claro exemplo, é a chamada regulamentação do trabalho terceirizado, que macula escancaradamente os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. As juventudes, vitimadas por uma violência crescente, especialmente as juventudes negra e pobre, veem avançar a pauta de redução da maioridade penal, que impulsionada por oportunismos cegos, fere as garantias estabelecidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
Não obstante, as políticas de ajuste fiscal atacam as camadas mais pobres. Os cortes orçamentários em políticas públicas essenciais mostram uma opção equivocada, que se alinha ao interesse do grande capital em detrimento da população. A corrupção, fruto de um sistema político falido, mostra raízes históricas podres que precisam ser combatidas. Infelizmente, a tão necessária reforma política foi negada pela maioria política.
O acirramento de disputa nas ruas e nas redes mostram um interesse, cada vez maior, pela política, mas também fragilizam o debate quando polariza uma discussão profunda e complexa.
A insustentabilidade política não consegue, de fato, gerir o cenário econômico que definha e atinge diretamente a juventude.
JULGAR
Nesse sentido, enquanto jovens de diversas realidades, com uma linda e rica diversidade, sonhamos com um outro mundo possível. Temos uma construção histórica, e também no presente, na defesa e animação das comunidades eclesiais de base, na nucleação de grupos de jovens, na construção de políticas públicas, na vivência cotidiana da espiritualidade que liberta e na efetivação de uma ação política assumida na radicalidade do Evangelho: Caridade e Justiça. Fazemos política sim, com caminhos e finalidade única: “Para que todos tenham vida; e tenha em abundância” (João 10,10).
Acreditamos na democracia e na participação popular, nos coletivos/movimentos, em nossas comunidades. Defendemos o projeto de vida de cada jovem, acompanhados de seus assessores e assessoras, que com carinho e discernimento, no trabalho e serviço à militância, estão nas diversas pastorais, nos partidos políticos e nos movimentos juvenis sendo a Novidade.
Repudiamos a condução diabólica da mídia, que corrompida pelo capital, informa e transmite de forma manipulada as notícias e realidades, estando a serviço da aristocracia brasileira e contra qualquer tipo de manifestação dos pequenos e marginalizados, contribuindo para sua criminalização.
Construímos, enquanto Pastoral da Juventude, um espaço privilegiado no processo de evangelização, possibilitando um engajamento político. Porém, somos Pastoral e nos posicionamos a favor da vida, pois temos a certeza de que precisamos ser profetas e profetizas, anunciadores/as da Boa Notícia aos pobres e excluídos, onde quer que estejamos.
Convocados pelo Papa Francisco, vamos adentrar na vida da juventude, ir ao encontro das pessoas mais empobrecidas, pois acreditamos que a nova forma de organizar e de lutar por um mundo melhor e possível perpassa o/a outro/a, os/as jovens pobres e excluídos/as. “Não esqueçais dos pobres”.
Provocamo-nos enquanto jovens a serviço da Pastoral da Juventude, em sintonia com toda a Igreja, que possamos atuar de forma consciente e crítica, através das vivências e possibilidades que os nossos grupos nos oferecem, apontando caminhos alternativos e ousados na edificação do Reino de Deus.
AGIR
Nós, Pastoral da Juventude, reafirmamos nossas bandeiras de luta neste momento histórico importante. Entendemos que elas só podem ser garantidas quando a justiça e a democracia forem preservadas. Reforçamos que somente com uma Reforma Política profunda e real é que se iniciará um verdadeiro momento político democrático no Brasil. Soma-se a essa demanda, a urgência em democratizar e regulamentar a Mídia.
Por isso, repudiamos toda ação midiática irresponsável, que não traduz a voz do povo, e acirra os ânimos de uma disputa política perigosa, inflamando o ódio e deturpando o sentido mais nobre dos preceitos democráticos.
Conclamamos toda Juventude a repudiar qualquer ato de violência e a respeitar o contraditório, sem se furtar ao direito de denunciar atos hostis e criminosos que possam ferir o direito à livre manifestação.
Defendemos a irrestrita investigação de todo e qualquer ato criminoso, desde que a espetacularização seletiva não corrompa os fins de esclarecimentos, necessários ao rito democrático de aplicação da lei.
Sobretudo, pedimos o fortalecimento da mobilização em defesa da democracia junto as camadas, setores, pastorais e movimentos sociais que tiveram fundamental importância no avanço e consolidação dos direitos sociais no Brasil. Pedimos em especial neste momento onde a democracia está ameaçada por claros interesses políticos, que não levam em conta o desejo de um Brasil Popular, mas se pautam numa ação orquestrada de classes hegemônicas que anseiam por ampliar o já grandioso poder para avançar em pautas que ferem conquistas históricas.
Queremos a garantia e a manutenção do Estado Democrático de Direito. Para defendê-lo, valemo-nos da esperança e do exercício do amor, que faz da luta uma mística a serviço da Vida, anunciada por Jesus de Nazaré, profeta e mártir.
Precisamos nos engajar de verdade para mudar o país, mudar a realidade do povo e não uma visão intimista, egoísta e golpista. A indignação nos move a mudar o que está em nossa volta, nos convida a romper com as estruturas. A mudar o mundo. Participar de espaços de discussão, espaços políticos de participação. Discutir em nossos grupos de jovens os limites e também as conquistas dos espaços que temos hoje na democracia. Sonhar possibilidades e exercer o nosso protagonismo juvenil, construindo as alternativas possíveis para a consolidação de um Brasil Popular, onde os pobres, e, principalmente, os excluídos tenham lugar para viver com respeito, dignidade e alegria.
Que país queremos? Que estrutura política queremos? Que sistema político econômico queremos? Que sociedade queremos? Sem essas respostas, estaremos alienados no nosso agir.

Seguimos em marcha, sempre em defesa da vida!
Secretaria Nacional, Coordenação Nacional, e
Comissão Nacional de Assessores/as da Pastoral da Juventude

terça-feira, 15 de março de 2016

ANPJ do Crato tem tema e iluminação bíblica definidos




A Pastoral da Juventude do Brasil, depois de celebrar 40 anos de caminhada na Ampliada Nacional de BH, volta ao chão da Galileia na ANPJ do Crato/CE, em 2017. A iluminação bíblica com convite do Mestre se dá depois da experiência pascal de Jerusalém: “Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galileia. Lá eles me verão. (Mt 28,10b)”. O horizonte para a Ampliada está revelado no tema: “Ser tão PJ: romper barreiras, renovar a esperança e celebrar a vida”. Esses encaminhamentos e deliberações foram concluídos na reunião da Coordenação Nacional da PJ, realizada no Rio de Janeiro, de 10 a 13 de março.
Para Pe. Sebastião Corrêa, membro da Comissão Nacional de Assessores da PJ (CNA), a Iluminação Bíblica inspira a PJ à encontrar nas bases as respostas para o caminhar pastoral. “Ir à Galiléia é retomar o caminho de Jesus! Agora, com a luz da páscoa! É refazer aquela experiência original de encontro, de formação discipular… Sobretudo, é retomar a ação junto aos pobres e marginalizados, assim como Jesus fez”, lembra. A secretária nacional da PJ, Aline Ogliari, lembra ainda do forte simbolismo do texto de Mateus: “Quem porta esta boa nova são mulheres. Elas recebem primeiro a boa notícia a ser anunciada”.
O tema da Ampliada Nacional vai ajudar os delegados e delegadas, que se encontram no Crato/CE, em janeiro de 2017, a ver a realidade das Juventudes e a vislumbrar o horizonte para a ação pastoral da PJ. Rafael Martins, que é representante do Sul 1 (São Paulo) na Coordenação Nacional, também integra a equipe de metodologia da ANPJ. Para ele, o tema ajudará a PJ a retomar princípios básicos, como a opção pelos jovens pobres e excluídos e pelo espaço comunitário do grupo. “Com o tema dessa ANPJ, vamos caminhar refletindo, através de nossos princípios, a ousadia evangélica em ser Pastoral da Juventude, em ser a Igreja Jovem, em Ser Tão PJ! E assim, apontar caminhos para a PJ Nacional, onde daremos nossos passos, rompendo com qualquer barreira que seja sinal de morte, passos que renovem a esperança no Reino de Deus, e na espiritualidade juvenil, seguiremos celebrando a vida”, destaca.
O bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Antônio Augusto Dias Duarte, visitou a reunião e manifestou a alegria de receber a Coordenação Nacional da PJ, que foi acolhida na Paróquia Cristo Rei, no bairro de Vaz Lobo. Além dele, os jovens da Coordenação Regional da PJ do Leste 1 (Rio de Janeiro) e do grupo de base da paróquia, se encontraram em momentos celebrativos. Participaram dessa reunião coordenadores nacionais representantes de 14 regionais da CNBB.
Fonte: Pastoral da Juventude Nacional

domingo, 13 de março de 2016

Rio Branco/AC receberá o 12º ENPJ



O Acre é a casa da PJ do Brasil em janeiro de 2018. As juventudes do Regional Noroeste receberão, na Diocese de Rio Branco, o XII Encontro Nacional da Pastoral da Juventude. É a primeira vez que o estado e o regional recebem uma atividade nacional da PJ. A decisão foi tomada na reunião da Coordenação Nacional e da Comissão Nacional de Assessores, realizada no Rio de Janeiro, de 10 a 13 de março.

O grupo se reuniu em oração para o processo de discernimento. Além da Diocese de Rio Branco, o Regional Nordeste 5, por meio da Arquidiocese São Luís/MA, também se colocou à disposição. O jovem Maurício de Assis, que representa o regional Nordeste 5 na Coordenação Nacional da PJ, agradeceu a oportunidade de construir, junto às bases, o projeto e destacou a alegria e entusiasmo das 12 dioceses que compõem o Regional no desejo de receber a atividade. Ele ressaltou que o Maranhão estará em sintonia e vai contribuir com a Arquidiocese de Rio Branco na realização do próximo ENPJ.
Depois de atravessar o Rio Negro e contemplar o encontro das águas, a juventude pejoteira do Brasil tem encontro marcado no Rio Branco. O cenário amazônico estará presente, mais uma vez, no chão a ser contemplado. Os grupos de base do Acre já se preparam com entusiasmo para mostrar as belezas e a cultura do estado dos guerreiros Chico Mendes e Irmã Cleuza. Junto deles estão os grupos de todo Regional Noroeste, que também é formado pelas dioceses de Rondônia e do sul de Amazonas. “Este era um sonho que foi sonhado em conjunto. Dentro de nossa pequenez, construiremos um belo, intenso e transformador ENPJ, onde poderemos vivenciar as cores, sabores, cheiros e lutas da juventude da Amazônia”, destacou o jovem Deivisson Souza, representante do regional Noroeste na Coordenação Nacional da PJ.
Fonte: Pastoral da Juventude Nacional

quarta-feira, 9 de março de 2016

Inscrições abertas para a Escola da Juventude 2016



Estão abertas as inscrições para mais uma turma da Escola da Juventude Dom Hélder Câmara, que desde 2003 ajuda na formação dos jovens da Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Feira de Santana e até de jovens de outras Pastorais ou Dioceses. 

O intuito da Escola da Juventude (EJ) é de contribuir no processo de formação integral, que nos interpela a desenvolver todas as dimensões da pessoa humana: personalização (eu e eu), integração (eu e o próximo/Comunidade), Teológica (eu e Deus), Sócio-política (eu e a sociedade) e capacitação técnica ("o saber fazer"). 

Sobre a formação integral, o Documento 85 da CNBB "Evangelização da Juventude", nos fala: "Desafia-nos, de modo especial, a promoção de um processo de evangelização que leve em conta as diferentes dimensões da formação integral num caminho que desperte e cultive os jovens e a comunidade eclesial para a irrenunciável dimensão vocacional do grupo. O conceito de formação integral é importante para considerar o jovem como um todo, evitando assim reducionismos que distorçam a proposta de educação na fé, reduzindo-a a uma proposta psicologizante, espiritualista ou politizante". Seguindo portanto as orientações da Igreja no Brasil, a PJ da Arquidiocese de Feira segue com esse belo caminho de discipulado missionário, através da formação que deve chegar a cada jovem e grupo de nossa Igreja Particular. 

Serão 5 etapas durante o ano, sempre a cada dois meses, no 3º final de semana dos meses de março, maio, julho, setembro e novembro. Ao final das etapas, há uma certificação de 100 horas. A primeira etapa será dias 18 e 19 de março no Recanto Maria de Nazaré, no Centro Arquidiocesano de Pastoral, bairro Papagaio. Confira abaixo as demais informações sobre a EJ: 

LINK PARA INSCRIÇÃO ONLINE: 

Nossos Objetivos
  • Capacitar lideranças para acompanhar os grupos de jovens no processo de educação na fé (formação integral);
  • Valorizar as experiências pastorais e de amizade na vivência da pessoa de Jesus;
  • Incentivar a militância social e eclesial pautada no princípio do protagonismo juvenil.
Quem Participa
  • Coordenadores paroquiais de PJ e/ou outros membros da coordenação.
  • Coordenador ou coordenadora de grupo de jovens, se não houver equipe paroquial de PJ estruturada.
Quantos/as Participam

(Ao menos) Três pessoas por paróquia.

Exigências
  • Ficha de Inscrição preenchida;
  • Participação integral nas 5 (cinco) etapas da EJ;

Local
Recanto de Nazaré, Centro Arquidiocesano de Pastoral, bairro Papagaio, Feira de Santana/BA. 

Investimento
R$ 20,00 (vinte reais) por pessoa.

Programação Curricular

ETAPA I (18 e 19 de março)
- Auto- Conhecimento e História pessoal;
- Afetividade e Sexualidade;
- Bíblia I;

ETAPA II (20 a 22 de maio)
- Bíblia II;
- Missão da Igreja; 
- História e Organização da PJ;

ETAPA III (15 a 17 de julho)
- Missão da PJ;
- Concepções de Juventude;
- Seguimento de Jesus;

ETAPA IV (16 a 18 de setembro)
- Metodologia da PJ;
- Dinâmico de Grupo;

ETAPA V (18 a 20 de novembro)
- Considerações para um pensar critico; 
- O/A Jovem nos documentos da Igreja

domingo, 6 de março de 2016

Campanha: Doe 1 real para a PJ Regional


Na última reunião da coordenação regional da PJ, ficou deliberado promover ações para melhor prover recursos para o acompanhamento das atividades pjoteiras nas Dioceses, bem como conseguir materiais com nossa identidade e mística. Para tanto, foi lançada no dia 27/02, dentro da Ampliada Regional das Pastorais da Juventude do Brasil, a campanha Doe 1 real para o Regional. A ideia é simples: que em todas as atividades da PJ (em todas as instâncias, em especial Diocesanas) todos os pjoteiros presentes doem o valor de 1 real, que será revertido para a ação pastoral da PJ NE3. Nos juntemos nessa campanha para ajudar na evangelização da juventude nas Dioceses da Bahia e Sergipe. Para mais informações, acessar o site da campanha: http://ciadisfarce.wix.com/campanharegionalne3 onde também pode ser encontrada a conta para depósito.

Com informações de Erik Nascimento, articulador da PJB na RP3

sexta-feira, 4 de março de 2016

Pastorais da Juventude do NE3 realizam Ampliada Regional, no Recôncavo Baiano




Aconteceu entre os dias 26 e 28 de fevereiro, no Centro de Formação Dom Hélder Câmara, no Distrito de Acupe, Município de Santo Amaro, mais uma Ampliada Regional das Pastorais da Juventude do Brasil. Foi o momento das 3 específicas (PJ, PJR e PJMP) se unirem para partilhar a caminhada, alegrias, tristezas e conquistas nas terras da Bahia e de Sergipe (NE3). A novidade deste ano foi a participação também da Juventude da Cáritas das Dioceses de nosso Regional, para estreitarmos ainda os laços na construção de um “Outro Mundo Possível”.
As atividade começaram com a Mística de abertura na sexta, conduzida pelos jovens da PJ do Recôncavo, que foram os anfitriões da ARPJB. Logo depois, Mailson deu as boas vindas e também fez as orientações.
O sábado foi um dia intenso de trabalhos, que se iniciaram com a Oração da Manhã, de acordo com o Ofício Divino da Juventude, onde foi recordado o cuidado com a Casa Comum, e também com os empobrecidos pelo sistema. Em seguida o momento do Marco Situacional foi conduzido pela Cátia, da Cáritas Regional, com destaque para a relação entre Igreja e Sociedade. Ainda na manhã de sábado, foi feita a partilha das específicas, com seus respectivos representantes: PJ (Tiago Medeiros), PJMP (Ana Cácia), PJR (Joabes), PJE (Pedro) e Cáritas (Amanda). Embora a PJE não tenha grupos de base no nosso regional, foi exatamente nas terras do Recôncavo Baiano, em Santo Amaro e outras cidades, que tivemos grupos desta específica.
O sábado a tarde foi o momento das Plenarinhas, que discutiram os espaços de atuação social das Pastorais da Juventude, que foram os seguintes (com os nomes dos facilitadores: Juventudes e Conselhos de Direitos (Michelle Vieira); Juventudes e Conselhos Tutelares (Jadeilson Gomes); Juventude e Política Partidária (Edinaldo Rezende); Juventude e Pastorais Sociais (Josi); Juventudes e Espaços de Gestão Pública (Mario Jorge); Juventude e Movimentos Sociais (Noel Siríaco). No final da tarde ainda aconteceram as reuniões das Regiões Pastorais do NE3, e das Específicas.
O domingo  e último dia da Ampliada teve como primeiro momento a Santa Missa na Comunidade Nossa Senhora da Soledade, Matriz de Acupe. O Padre Adilson fez as boas vinas a todos os jovens presentes na atividade, em nome da comunidade. Voltando ao espaço da Ampliada, foi o momento da socialização das plenarinhas do sábado à tarde e elaborar os planos de ação para este ano de 2016. O articulador eleito da ARPJB de Baianópolis (2014), Mailson Pereira, afastou-se deste serviço (sendo que a ARPJB eletiva será em 2017). Portanto nesse período até a próxima Ampliada, a articulação da PJB no Regional será feita por um nome de cada específica, e um destes permanecerá no serviço a partir daquele momento. Mailson acompanhará os jovens neste período de transição. Logo após foi escolhida a data e local da próxima Ampliada Regional da PJB, que será na Região Pastoral 2 (Sergipe), no período de 10 a 12 de março de 2017. Por fim foi feita a mística de envio que agradeceu a vida partilhada de Mailson neste últimos 2 anos e nos motiva a continuar esta caminhada de unidade das Pastorais da Juventude, as juventudes das CEBs. A coordenação regional da PJB agradece a acolhida dos pjoteiros do Recôncavo, bem como a colaboração dos jovens e de todos os agentes da Cáritas presente na ARPJB.

Por Erik Nascimento, articulador da PJB na RP3  
Fonte: Pastorais da Juventude – Regional Nordeste 3 (BA/SE)