quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Feira conclui mais uma turma da Escola da Juventude



No último fim de semana (20 a 22) se realizou a 5ª e última etapa da Escola da Juventude Dom Hélder Câmara, da Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Feira de Santana. O encontro foi realizado mais uma vez na Chácara Santo Inácio, em Feira de Santana. O encontro se iniciou mais uma vez com a mística na sexta à noite.
O sábado foi iniciado com a reza do Oficio Divino da Juventude. Tanto pela manhã como pela tarde a assessoria temática foi facilitada por Murilo Rebouças, pjoteiro da Diocese de Barreiras. No primeiro período o tema foi Análise de Conjuntura, onde se foi discutida a realidade da juventude, do povo negro, das jovens mulheres, entre outros segmentos. Já a parte da tarde foi o momento de se estudar a juventude nos Documentos da Igreja. A abordagem enfocou os documentos do Concílio Ecumênico Vaticano II. O sábado à noite foi o momento de celebrar a formatura das/os pjoteiras/os que concluíram essa etapa de formação da PJ, que preza pela formação integral, como pedem os bispos em documentos do CELAM e da CNBB. Os jovens escolheram como padrinhos outros pjoteiros com uma caminhada um pouco maior, e se seguiu toda a questão da cerimônia de formatura.
Por fim, o domingo foi o momento de fazer a memória de toda a caminhada da Escola da Juventude no ano de 2015, através da sua síntese. Quem conduziu esse momento foi o pjoteiro Erik Nascimento, da cidade de Amélia Rodrigues. Logo após, a assessora arquidiocesana Ir. Lilian conduziu a avaliação deste ano de EJ em que foram feitas sugestões e também colocações do que se deve fortalecer neste espaço de formação e espiritualidade pjoteira.


Fonte: Erik Nascimento, pela articulação da PJB na Região Pastoral 3

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Equipe do Projeto Ajuri lança roteiro de encontro para o Dia da Consciência Negra

zumbi site
É com muita alegria que o Projeto Ajuri apresenta o Roteiro de encontro para Grupo de Jovens: “Resistência, Mística e Amor – Celebrando a luta de Zumbi, celebrando a nossa luta”.
O roteiro nos convida fazer memória da luta de Zumbi que também é nossa luta, e assim celebrar o Dia da Consciência Negra. Na memória desse dia refletimos sobre o/a negro/a no Brasil, sua presença na arte, na culinária, na fala, bem como, denunciamos o extermínio da juventude negra e o feminicídio que vitimiza na sua maioria mulheres negras, gritos esses que exigem de nós Resistência, Mística e Amor.

Clique aqui para baixar o roteiro.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Papa nomeia Dom Zanoni como novo Arcebispo de Feira de Santana



Na manhã desta quarta-feira, 18 de novembro, o papa Francisco acolheu o pedido de renúncia apresentado pelo arcebispo da arquidiocese de Feira de Santana (BA), dom Itamar Vian, de acordo com o cânon 401, parágrafo 1, do Código de Direito Canônico. Na mesma data, o papa nomeou dom Zanoni Demettino Castro arcebispo desta Igreja Particular. Até o momento, dom Zanoni era arcebispo coadjutor da mesma diocese.
Dom Itamar Vian é natural de Roca Sales (RS). Nasceu em 27 de agosto de 1940. Cursou Filosofia em Ijuí (RS) e Teologia no Instituto Superior São Lourenço de Brindisi, na cidade de Porto Alegre. Possui aperfeiçoamento em Planejamento Educacional, Filosofia da Educação e Comunicação Social. 
Foi ordenado bispo em 8 de abril de 1984. Escolheu como lema “Somos todos irmãos”.  Na trajetória episcopal, dom Itamar foi bispo de Barra (1984 a 1995) e Feira de Santana (1995 a 2001), vice-presidente do regional Nordeste 3 e arcebispo de Feira de Santana (2002 a 2015). É autor de diversos livros, entre eles, “Personalidade e Ciência Social”, “Cinema e TV no Ensino”, “Luzes no Caminho”, “História de Vida” e a “Arte de Escolher”. 
Novo Arcebispo 
Dom Zanoni Demettino Castro nasceu em 23 de janeiro de 1962. É natural de Vitória da Conquista (BA). Foi ordenado presbítero em 28 de dezembro de 1986. A nomeação ao episcopado ocorreu em 3 de outubro de 2007 e a ordenação, em 24 de novembro do mesmo ano. Cursou Filosofia no Seminário Maior da Arquidiocese de Brasília (DF) e Teologia no Instituto de Ilhéus (BA). Possui mestrado em Teologia Sistemática pelo Pontifícia Universidade Católica (PUC/Rio). De 2007 a 2014, foi bispo da diocese de São Mateus (ES). No dia 03 de dezembro do ano passado, dom Zanoni Demettino Castro foi nomeado arcebispo coadjutor da arquidiocese de Feira de Santana. Tem como lema “Ecce mitte me”. 
Fonte: CNBB

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Coordenação Regional da PJ se reúne em Porto Seguro (BA)

Aconteceu entre os dias 07 e 08 de novembro, na cidade de Porto Seguro (na Diocese de Eunápolis) a segunda reunião anual da Coordenação Regional da Pastoral da Juventude. Foram dias de mística, emoção e planejamento da caminhada. Essa foi a reunião de transição da CRPJ, em que os antigos CN e SR (Murilo Rebouças e Bruno Conceição) estiveram presentes para ajudar os novos jovens destes espaços (Pilha e Tiago Medeiros), que foram eleitos no 12º ERPJ em Amargosa, e neste período tocarão estes serviços na evangelização da juventude na Bahia e Sergipe.
Os trabalhos no dia 07 se iniciaram com atividades paralelas: enquanto a PJ da Região Pastoral 6 (Sul da Bahia) se reunia, os assessores fizeram sua reunião própria, bem como também o secretário regional e coordenador nacional também se reuniram com os que estavam nesses serviços.
Já na tarde começaram de fato os trabalhos da Coordenação Regional da PJ, com o CN, SR, Articuladores das Regiões Pastorais , assessoria e convidados. A reunião começou com a Mística Inicial, rezando o Ofício Divino da Juventude. Logo após foi feita a retomada da caminhada da PJ Regional nos últimos dois anos, incluindo a análise dos questionários mandados pelas Dioceses. No restante do sábado foram discutidos acréscimos e atualizações ao Plano Regional da PJ. Por fim, no  domingo foi finalizada a questão do Plano e foi terminado o Calendário da PJ no Nordeste 3 para o ano de 2016.

Fonte: Pastoral da Juventude - Regional Nordeste 3

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Pastorais Sociais, Pastorais da Juventude e Juventude Franciscana definem pauta em comum em defesa da vida da juventude

Por: Jardel Lopes
Neste final de semana (01 e 02 de novembro),  no Centro de Formação Sagrada Família, da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, fundada por Santa Paulina, São Paulo,   aconteceu o 1º Seminário Nacional de Articulação das Pastorais Sociais, Pastorais da Juventude e Jufra: Construindo redes de enfrentamento da Criminalização e do Genocídio da Juventude.
A aproximação entre essas pastorais buscam um olhar em conjunto para a defesa da vida da juventude, categoria demográfica mais criminalizada e exterminada na sociedade brasileira. A criminalização da juventude, pautas sociais, políticas e religiosas conservadoras que excluem a juventude e o genocídio da juventude negra, pobre, e da periferia são os principais temas abordados pelas pastorais como urgências que demandam denuncias e anúncio de iniciativas em defesa da vida.
Segundo o Mapa da Violência 2014, o Brasil registrou, em 2012, 56.337 homicídios, atingindo a taxa de 29 assassinatos por 100 mil habitantes. Desse total, 30.072 foram pessoas jovens, o que faz a taxa de homicídios subir, tratando-se exclusivamente da população juvenil, para 57,6/100 mil, tendo o pico na faixa entre 20 e 24 anos de idade (nesta idade, a taxa chega à 66,9/100 mil). De acordo com o Mapa da Violência 2015, do total de óbitos de jovens de 16 e 17 anos em 2013, 46% foram causados por homicídios.
Os números são ainda mais alarmantes quando se referem à situação da juventude negra: enquanto 6.823 jovens brancos foram assassinados em 2012, 23.160 jovens negros tiveram suas vidas tolhidas. Isso significa que a taxa de homicídios do primeiro grupo chegou à 29,9/100 mil, ao passo que no segundo atingiu 82,3/100 mil. Naquele ano, portanto, foram mais de 63 jovens negros assassinados por dia. Neste contexto, ainda, ganha relevo a altíssima letalidade da polícia brasileira, explícita nos números de mortes causadas em suas intervenções e maquiada pelos grotescos “autos de resistência”. Evidencia-se o que tanto as Pastorais da Juventude como o que inúmeros Movimentos Sociais vêm gritando há anos: está em curso um verdadeiro genocídio da juventude negra brasileira.
Entre momentos de oração e de estudo, Vanessa Correa (Anchietanum)  ajudou a refletir a condição e situação juvenil, Ana Marcela (PJE)  provocou sobre a criminalização da juventude, destacando a redução da maioridade penal; Ana Rita (PJMP) falou sobre o genocídio da juventude negra, pobres e das periferias. Também a professora Celina (ITEPA)  ajudou com reflexões e críticas em relação à proposta. Para ajudar a iluminar essa realidade Thiago Valentim (CPT) e Jardel Lopes (PO)  ajudaram com a refletir sobre o pastoreio (Ez 34, 1-4) e os lugares de primordiais da ação de Jesus.
Dentre as ações propostas para o coletivo de pastorais preocupadas com a realidade que crucifica a juventude, sobretudo os pobres e negros. È preciso visibilizar a realidade e desenvolver ações conjuntas, construindo redes de ações que venham superar as estruturas que geram mortes. Em 2016 deveremos ter um seminário ampliado com outras pastorais e movimentos populares que defendem a causa da vida da juventude. Também deve haver publicações, Grupos de Trabalhos, além de dar visibilidade a essa realidade nas ações.
“Essa ciranda não minha só, ela é de todos nós” (Lia de Itamaracá). Por isso, a defesa da vida da juventude, sobretudo, é uma “missão de todos nós” que acreditamos na ação pastoral transformadora, motivados por uma “igreja em saída” como propõe o Papa Francisco.
Fonte: CNBB – Sul 2 (Paraná)

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

DNJ 2015 é celebrado em Santo Estevão



Neste dia 1º de novembro, dia de Todos os Santos e Santas, a Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Feira de Santana se reuniu em Santo Estevão, depois de 8 anos do primeiro DNJ nesta cidade, , para celebrar o Dia Nacional da Juventude 2015. Com o tema: Juventude construindo uma nova sociedade, e o lema: “Estou no meio de vós como aquele que serve”, a juventude de toda a nossa Igreja Particular pode celebrar a vida e recordar 30 anos de DNJ em nosso país!

A programação começou na Lagoa do Plínio (mesmo local onde se iniciou o DNJ 2007) onde a banda Força Missionária começou com a animação no trio que percorreu as ruas da cidade. Antes de iniciar a caminhada, jovens de Santo Estevão fizeram uma apresentação com a temática do DNJ. Ainda foi realizada também a Ciranda Contra a Violência e o Extermínio de Jovens.

Chegando na Praça 7 de Setembro, foi o momento de assistir algumas apresentações. Logo depois chegou o momento da Celebração da Santa Missa, que foi presidida pelo Arcebispo Coadjutor, Dom Zanoni Castro. Essa foi a primeira vez que Dom Zanoni celebrou a Missa do Dia Nacional da Juventude. Na homilia, nosso bispo recordou a importância da santidade nos dias atuais, que não é se isolar da restante do mundo, mas ajudar a construir um mundo novo, uma nova civilização. Também ressaltou a importância do Dia Nacional da Juventude, para a evangelização da juventude de toda a Arquidiocese.


Na parte da tarde foi o momento de celebrar a vida da juventude com a animação de algumas bandas. A primeira foi a Banda Ser de Deus, que tem jovens de diversas comunidades paroquiais de nossa Arquidiocese. Logo após, Lizandra Santana e sua banda animaram os presentes com músicas pjoteiras e também com um repertório bem eclético. Em seguida, foi lida uma carta feita pela Coordenação Regional da PJ, saudando os pjoteiros e pjoteiras presentes nesse grande encontro arquidiocesano, que é o DNJ. Por fim, a banda Alto Louvor fechou o DNJ 2015. Fica aqui o agradecimento a todos que contribuíram para este dia, em especial a juventude de Santo Estevão. Também já está decidida a sede do próximo DNJ, que será realizado na Paróquia Senhor do Bonfim, na cidade de Santanópolis.