quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Carta da PJ NE3 sobre as eleições municipais



“Quando os justos governam, o povo se alegra; quando o injusto governa, o povo reclama.” (Provérbios 29, 2)
Querida juventude pjoteira, paz e bem!
Iniciamos essa carta com a expressão da sabedoria dos nossos antepassados, presente no livro dos Provérbios, que muito têm a nos ensinar nos dias de hoje. Atribuídos ao rei Salomão, por ser considerado o pai da sabedoria, estes provérbios na verdade são frutos da experiência popular e da inspiração divina que muito servia e ainda serve de lição e orientação às pessoas.
Na atual conjuntura social e política do nosso país, este provérbio muito nos é conveniente, para que possamos fazer o exercício de analisar o quê em nossas cidades tem e o que não tem sido favorável à vida do povo. O quê tem alegrado o povo? O quê o povo tem reclamado? Nos aproximamos da eleições municipais e este momento nos exige a necessidade de associar nossa escolha à nossa memória, para que possamos olhar para trás e no exercício da recordação, possamos avaliar e questionarmo-nos o que nossos representantes fizeram em benefício do coletivo.
O nosso espaço pastoral muito tem nos ensinado a fazer esse exercício de recordação da vida e da prática, de fazer memória e avaliar o que fazemos, para nos ajudar a construir o que queremos. Este espaço também muito nos permite a formarmo-nos seres críticos!
A formação integral que a Pastoral da Juventude preconiza e pratica em nosso jeito de ser e fazer, nos possibilita por meio da dimensão da Conscientização política, esse despertar para a transformação da nossa realidade; despertar para a compreensão de que precisamos ocupar alguns espaços e estruturas de poder, para que possamos pautar a vida daqueles e daquelas que mais precisam e assim consigamos fazer brotar o direito e a justiça (Amós, 5,24).
A Pastoral da Juventude considerada por muitos, como uma grande escola de formação, permitiu que em vários lugares do nosso imenso Brasil e não muito diferente em nosso Regional Nordeste3 (Bahia/Sergipe), surgissem jovens que vivenciaram as etapas de educação na fé, chegando à militância, engajados na luta da defesa dos direitos dos jovens e dos mais empobrecidos.
Apesar de sabermos o quão perverso o espaço político-partidário tem sido, nós pjoteiros e pjoteiras nos sentimos agradecidos/as pela coragem destes e destas, que com muita esperança e desejo de transformação, se colocam nesse meio para serem Sal da terra e Luz do mundo(Mateus 5,13); como opção transformadora para ocuparem o legislativo e o executivo nos vários municípios do nosso regional; como vozes proféticas inspirados/as por aquele que primeiro nos deu o exemplo de amor e doação ao próximo, Jesus, o jovem Galileu.
Que Jesus, nosso irmão seja sempre o modelo para cada um e cada uma destes/destas jovens que hoje estão pleiteando uma vaga nas eleições municipais. Que seus projetos estejam sempre associados ao projeto do Nazareno, que primeiro sonhou, anunciou e deu sua vida para que todos e todas tivessem vida em abundância e para que o Reino de justiça e paz se concretizasse. Sigamos nessa confiança, acreditemos nesse projeto e a cada dia continuemos na construção dessa civilização do amor, tão sonhada e tão esperada por nós.
Que no próximo domingo (02 de outubro), possamos nos sentir co-responsáveis por cada projeto que vamos escolher. Que nosso voto seja assertivo, consciente e regado de compromisso com o coletivo, não somente na hora da votação, mas também no cotidiano da gestão, fiscalizando e acompanhando, para que tenhamos uma próxima gestão justa em que o povo se alegra!
Sigamos na doação e no cuidado.
Um abraço cheio do desejo de transformação!
Amém. Axé. Awere. Aleluia.
Coordenação Regional da Pastoral da Juventude NE3 (Bahia/Sergipe)
Comissão Regional de Assessoria da Pastoral da Juventude NE3 (Bahia/Sergipe)

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Papa em Assis: diálogo para compreender a grandeza do outro



Esta terça-feira (20/09) o Papa está em Assis, no âmbito dos 30 anos do histórico Encontro de Oração pela Paz realizado em 27 de outubro de 1986, por desejo João Paulo II. 
No Angelus de domingo, Francisco recordou que existe guerra por tudo e pediu que a terça-feira seja vivida como um Dia de Oração pela Paz:
"Convido as paróquias, as associações eclesiais e cada fiel de todo o mundo a viver este dia como um Dia de Oração pela Paz. Hoje, mais do que nunca, temos necessidade de paz nesta guerra que existe por tudo no mundo. Rezemos pela paz! À exemplo de São Francisco, homem de fraternidade e clemência, somos todos chamados a oferecer ao mundo um forte testemunho de nosso compromisso comum pela paz e a reconciliação entre os povos. Assim, terça-feira, todos unidos em oração: cada um tome um tempo, aquele que puder, para rezar pela paz. Todo o mundo unido”.
Ao longo de seu pontificado Francisco já havia convocado outras iniciativas de oração pela paz, especialmente pela Síria.
Chegada 
O Papa Francisco chegou de helicóptero às 10h55min da manhã desta terça-feira (20/09) a Assis, para o Dia Mundial de Oração pela Paz, no âmbito do evento “Sede de Paz. Religiões e Culturas em diálogo”, promovido pela Diocese de Assis, Famílias Franciscanas e Comunidade de Santo Egídio.
Depois de aterrissar no Campo Esportivo “Migaghelli”, em Santa Maria dos Anjos, Francisco foi de automóvel até o Sacro Convento de Assis, onde foi recebido, entre outros, pelo Patriarca de Constantinopla, Bartolomeu I; o Patriarca Sírio-ortodoxo de Antioquia Ignatius Efrem II; pelo Vice-Presidente da Universidade de Al-Azhar, Egito, Abbas Schuman; pelo Arcebispo de Cantuária e Primaz da Igreja Anglicana Justin Welby, pelo Rabino Chefe de Roma, Riccardo di Segni, entre outros.
Juntos, dirigiram-se ao Claustro de Sisto IV, onde aguardavam representantes de Igrejas e Religiões de todo o mundo, além dos Bispos da Úmbria. O Santo Padre saudou um a um os presentes.
Às 13 horas, no refeitório do Sacro Convento, um almoço comum, do qual tomaram parte 12 refugiados provenientes de países em guerra, atualmente acolhidos pela Comunidade de Santo Egídio.
Fonte: Rádio Vaticano

sábado, 17 de setembro de 2016

Campanha Primavera para a Vida tem temática direcionada a juventude



Com o tema “Direito à vida da juventude”, a Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE) realiza mais uma edição da Campanha Primavera para a Vida. Este ano, a iniciativa busca contribuir para uma transformação significativa da situação vivida pela juventude brasileira, sobretudo no que diz respeito ao acesso à educação de qualidade, à segurança, ao trabalho, ao lazer e a participação nos processos sociais e políticos.
Em parceria com a Rede Ecumênica da Juventude (REJU), a Campanha da Primavera já possui um rico material que está disponível para a reflexão das Igrejas. O subsídio é composto por experiências de jovens que fazem parte de diferentes países e matrizes religiosas. O material possui um valor simbólico e pode ser adquirido no site do Centro de Estudos Bíblicos (CEBI), parceiro da Campanha. 
Além de discutir a temática escolhida, a Campanha também pretende mobilizar recursos para o Fundo de Pequenos Projetos da CESE. Neste sentido, a coordenadoria convoca a todas as igrejas-membros e grupos apoiados por seus projetos para que incluam a Campanha na programação das Igrejas e grupos locais durante o período da primavera, que começa do dia 21 de setembro e vai até o mês de dezembro. 
A CESE também pede para que sejam feitas ações em prol dos seus projetos. Outras informações podem ser adquiridas pelo e-mail: cesecomunica@cese.org.br

Edições anteriores

Ao longo de 43 anos, a CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviço) já apoiou mais de 11,5 mil projetos de organizações populares de todo o Brasil, contribuindo para o fortalecimento de direitos de aproximadamente 10 milhões de pessoas nos campos de gênero, raça, juventude, meio ambiente, economia solidária, comunicação e desenvolvimento institucional e diálogo inter-religioso.
Realizada desde o ano 2000, o intuito da Campanha Primavera para a Vida é mobilizar recursos para as atividades da CESE em todo o país (fortalecendo os grupos populares nas suas lutas por direitos, por meio do apoio a projetos) e estreitar e ampliar a articulação com as bases das Igrejas
A Campanha busca associar a temática da paz a outros temas de interesse da sociedade. Em sua primeira edição, trabalhou o tema “Vamos todos juntos semear justiça”. Na edição de 2002 refletiu sobre a necessidade de “Semear solidariedade e paz”. Em 2003, voltou-se para uma das carências que mais aflige o país e clamou por “Pão e paz”. Em 2004, buscou animar a juventude brasileira a se engajar na construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva, com o tema “Juventude e paz”. E em 2005, exortou a sociedade a sonhar com uma “Cidade de paz”.
Os anos seguintes abraçaram as seguintes reflexões: “Mulheres e homens construindo cidades de paz” (2006); “Direitos e justiça para a paz” (2007); “Direitos e justiça: uma ação para crianças” (2008); “Direitos e justiça” (2009); “Justiça ambiental” (2010); “Direitos e justiça ambiental: cuidar de nossa casa comum” (2011); Justiça ambiental na perspectiva de direitos (2012); e “Direitos humanos, desenvolvimento e justiça” (2013); O bem que você faz muita gente compartilha” (2014); Eu respeito a diversidade religiosa. E você? (2015).

Com informações da CESE

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Pacto pela Juventude 2016

Neste ano, diante de um golpe de Estado, a quinta edição do Pacto pela Juventude se orienta pela defesa da democracia, pela radicalização dos espaços de participação e pela garantia de mais direitos para a juventude.
O objetivo do Pacto é estabelecer compromissos que relacionem pautas globais e nacionais com as políticas em cada contexto e município. Por esse motivo, os eixos de compromisso apresentados nessa carta de intenções buscam articular as propostas prioritárias da 3a Conferência Nacional de Juventude, realizada em 2015, com as políticas públicas nos territórios: com as demandas das juventudes do campo, das cidades, das florestas e das águas. E essas políticas só acontecerão diante da ocupação da cidade e do poder.
Para quem não conhece, o Pacto pela Juventude é uma proposição das organizações da sociedade civil que compõem o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), para que os governos federal, estaduais e municipais e parlamentares destes três níveis se comprometam com as políticas públicas de juventude, em suas ações e programas, e para que candidatas(os) aos cargos eletivos incorporem, em suas plataformas eleitorais, demandas da juventude brasileira.A primeira edição do Pacto aconteceu nas eleições municipais de 2008 e continuou nos anos seguintes 2010, 2012 e 2014.
Junte-se à sociedade civil do CONJUVE e mobilize ações para a assinatura do Pacto em sua cidade.
Para mais informações, acesse https://pactopelajuventude.wordpress.com/pacto/

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Coordenação da PJ NE3 lança carta referente ao Grito dos Excluídos 2016



“Não vamos seguir as doutrinas corrompidas pelo poder opressor.”
Pjoteiros e pjoteiras do regional mais lindo do Brasil (NE3), paz e bem!
Nos aproximamos do dia 7 de setembro, dia reservado pela história para que celebrássemos a independência do Brasil. Neste dia, juntamente com as pastorais e movimentos sociais nos unimos em manifestação, questionando primeiramente qual independência estamos celebrando? E pra quem é essa independência? Dessas interpelações é que nasce o Grito dos/as excluídos/as, propondo ser espaço profético e canal para fazer ecoar o grito sufocado daquelas e daqueles que sentem o peso da opressão de um sistema que impossibilita a igualdade de direitos e vida digna para todos e todas.
O Grito esse ano trás a reflexão: “Este sistema é insuportável: Exclui, degrada, mata!” e se inspira no discurso do Papa Francisco que na Bolívia (II Encontro Mundial dos Movimentos Populares) sente a as dores dos pequenos e lhes convida a serem protagonistas, lhes dando a esperança para seguir contribuindo e lutando por justiça. Aqui no Brasil, frente a onda de tantos retrocessos temos vários motivos para fazer ecoar o grito sufocado em nossas gargantas e seguir em manifestação, em luta!
Chegou a hora de defender os direitos dos fracos e o direito a uma vida digna para todo o ser humano. O compromisso com esta causa nos compromete no esforço da superação da exclusão em nosso país, participando da construção de uma sociedade justa e solidária.
Assim, o Grito dos/das excluídos/as deve servir para nós, como espaço de denúncia, resistência e reafirmação das várias bandeiras de luta que há muito tempo pautamos com muita coragem e determinação.
Com Maria, a Negra Mariama, queremos com coragem e discernimento sermos as vozes dos excluídos/as, que de tão machucados por um sistema que exclui, não conseguem ter força ao menos para gritar!
Vamos, assim em marcha, na luta, na resistência e na esperança de quem crê nas palavras de Jesus, o jovem de Nazaré, que anunciou a vida em abundância para todos e todas e nos dá a paz inquieta que faz o coração doer frente às injustiças.

Sigamos juntos/as em marcha, na fé e na esperança!
Coordenação Regional da PJ NE3
Secretaria Regional da PJ NE3
Comissão Regional de Assessores da PJ NE3

domingo, 4 de setembro de 2016

Pastorais da Juventude definem temáticas das Atividades Permanentes 2017



Democracia: esta será a palavra central dos trabalhos das Semanas da Cidadania e do Estudante em 2017. Representantes da Pastoral da Juventude (PJ), Pastoral da Juventude Estudantil (PJE) e Pastoral da Juventude Rural (PJR) definiram as temáticas das atividades permanentes, que também serão trabalhadas pela Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP), em seminário realizado no Colégio Marista Dom Silvério, em Belo Horizonte/MG, em 27 e 28 de agosto.
A Semana da Cidadania será realizada de 15 a 22 de abril, com o tema: “Democracia para quem e para quê?”- e o lema: “Todo poder emana do povo” (art. 1°, parágrafo único, CF/88). A Iluminação bíblica é da Carta de Tiago (3, 18): “O fruto da justiça se semeia na paz para aqueles que praticam a paz”.
Para a Semana do Estudante, que será realizada de 05 a 12 de agosto, o lema escolhido foi: “Escola democrática: sem lado não dá” – e a iluminação bíblica: “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça” (Mt 5, 10a).
O jovem Vinícius Borges, que faz parte da Coordenação Nacional da PJ, explicou que a temática nasce da necessidade de discutir o papel da juventude no atual momento histórico do Brasil. “As Pastorais da Juventude decidiram falar de democracia, porque temos rezado os movimentos que acontecem no país nos últimos tempos. Falar de democracia é falar do nosso direito a ter voz e vez; é falar dos estudantes que ocuparam as escolas em vários lugares do país; é falar das ameaças a direitos fundamentais garantidos pela constituição. Seguir Jesus é lutar pela justiça e atender a seu chamado para semear a paz: e isso só se faz com democracia plena”, ressaltou.
As Atividades Permanentes são trabalhos realizados em conjunto pelas Pastorais da Juventude do Brasil. Em 2017 serão lançados os materiais e subsídios, que vão ajudar os grupos de base a vivenciarem as Semanas da Cidadania e do Estudante.

Fonte: Atividades Permanentes - Pastorais da Juventude

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

PJ escolhe nova Secretária Regional, no 13º ERPJ (Diocese de Barra/BA)

Aconteceu entre os dias 26 e 28 de agosto o 13º Encontro Regional da Pastoral da Juventude (ERPJ), no Regional Nordeste 3, na Diocese de Barra/BA. Com o tema “PJ: Caminhando com esperança no cuidar do outro”, e como lema: “Vivenciar, na mística da Mãe Terra, a cultura do Bem Viver”. O Encontro foi realizado no Centro Diocesano de Formação, na cidade de Barra.
O ERPJ se iniciou com a Mística na noite de sexta, em que houve a acolhida a todos os presentes, feita pelos pjoteiros da Diocese de Barra. Logo em seguida Tiago Medeiros (Coordenação Nacional pelo NE3) e Pilha (Secretário Regional) deram as boas vindas a todos os presentes, os de perto e os de outras Dioceses, também apresentando a programação do encontro.
A Mística do sábado de manhã foi realizada com a colaboração de um Diocese de cada Região Pastoral presente. Ainda pela manhã, foi iniciada a formação do tema, com a assessoria de Maicelma, natural da Diocese de Jequié, que agora reside em Amargosa. A mesma trouxe as questões relativas ao cuidado, amor ao próximo a Deus e a si mesmo, a partir do tema: “Casa Comum e política do Bem Viver”. Já na parte da tarde, foram dadas as orientações para o encontros que foram feitos em algumas das comunidades próximas ao Centro de Formação. Nos encontros nas comunidades, os jovens de todos os cantos do Regional puderam partilhar ricos momentos com os jovens das bases da Paróquia São Francisco das Chagas, na sede de Barra. A partilha desses encontros foi feita logo na volta aos trabalhos, em que ficou evidente como foram momentos, acima de tudo, de troca de experiências.
Fechando os trabalhos no fim da tarde foi conduzida mais uma mística, por Pilha. Momento marcante foi o da realização da dança circular com a Oração de São Francisco, trazendo uma mística de cuidado do outro, ser humano ou outras criaturas. Na noite de sábado, foi realizada a Cultural, que trouxe inúmeros convidados de diversos grupos culturais da cidade de Barra, muitos dos quais compostos também por pjoteiros. Momentos de diversão e partilha de vida, nunca esquecendo da enculturação no espaço em que estamos.
O domingo se iniciou com a Santa Missa, realizada na Catedral de São Francisco das Chagas. Logo em seguida, foi momento de conversa sobre o espaço da secretária regional da PJ. Devido a diversos fatores, Pilha (nosso secretário eleito no 12º ERPJ) não pode continuar nesse serviço. Fica aqui o agradecimento a Pilha por seu serviço durante este ano, e temos a certeza de contar com sua ajuda no trabalho de evangelização da PJ. Pensando na melhor resolução desta questão, e para o bem da caminhada da PJ na Bahia e Sergipe, a coordenação e assessoria do Regional NE3 conversou com alguns nomes e chegou a uma conclusão quanto ao novo nome para a Secretaria Regional da PJ. E a pessoa escolhida foi a Samantha Gadêlha, da Diocese de Barreiras. Samantha passou pelos vários estágios da vida pjoteira, fazendo parte de coordenações de grupo de base, paróquia, vicariato, diocese e agora regional. A PJ NE3 acolhe a Samantha dizendo que “nós te acolhemos, te damos espaço e caminhamos contigo”.
Também no domingo foi escolhida a sede do 14º Encontro Regional da Pastoral da Juventude, que deverá ser na Diocese de Jequié/BA, entre os dias 8 a 10 de setembro de 2017. Desde já, os pjoteiros da Bahia e de Sergipe estão ansiosos para partilhar estes belos momentos com os pjoteiros da Cidade Sol! Abraço para a PJ da Diocese de Eunápolis, que também se candidatou para sediar o 14º ERPJ. Registre-se também o agradecimento a imensa acolhida da PJ da Diocese de Barra/BA, esperando que este fim semana dê ainda mais ânimo para a bela caminhada da Pastoral da Juventude nessa Diocese.
Fonte: Erik Nascimento, pela articulação da PJ – Região Pastoral 3 / Teias da Comunicação NE3