quinta-feira, 28 de junho de 2012

Pastorais da Juventude e Universitária realizam Seminário da Campanha Contra Violência e o Extermínio de Jovens em Feira de Santana/BA

A PJ e a PU da Arquidiocese de Feira de Santana, irão promover o 1º Seminário da Campanha Contra Violência e o Extermínio de Jovens, no dia 19 de julho, no auditório 2, da Universidade Estadual de Feira de Santana. Contando com o apoio de entidades estudantis como o DCE, o Núcleo de Estudantes Negras e Negros e o Levante Popular da Juventude.

No ano de 2008 na 15ª Assembleia Nacional das Pastorais da Juventude do Brasil, nasceu a reflexão sobre uma campanha contra o extermínio de jovens, devido as crescentes mortes destes decorrente de violência em todos os cantos do país. A Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens é uma ação articulada de diversas organizações para levar a toda sociedade o debate sobre as diversas formas de violência contra a juventude

É necessário um debate construído por diversos setores da sociedade, para articularem em conjunto ações que promovam mudanças desses cenários de violências. O meio acadêmico propicia esta discursão, por que os jovens universitários são, em parceria com os outros jovens, os promotores dessa campanha.

Esse Seminário foi proposto pela Pastoral da Juventude e pela Pastoral Universitária da Arquidiocese de Feira de Santana, com o intuito de estar em sintonia com a PJ Nacional, que está promovendo conjuntamente com a PJMP, PJE, PJR e outras instituições eclesiais e governamentais, a Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens.

Vamos contar com a seguinte programação:

Manhã:

8:00 – 10:00: Mesa Redonda: “Chega de Violência e Extermínio de Jovens”
(Michele Vieira, presidente do CEJUVE, Secretária Regional da PJ e Juremar, vice-presidente do CEJUVE)

10:00 – 12:00: Mesa Redonda: “Violência: Denúncias, Estatísticas e Causas
-> Extermínio da Juventude Negra
-> Violência contra a jovem mulher
-> Violência contra o jovem do campo

Tarde

14:00 – 16:00: Mesa Redonda: ”Juventude e Segurança Pública” (Felipe Freitas e Ricardo Cappi)
16:00 – 17:00: Painéis ”Experiências de Movimentos de ações contra a violência”

17:00 - 18:00: Missa

Por: Erik Nascimento – Coordenador da PJ Arquidiocese de Feira de Santana/ Teias da Comunicação Nacional e Regional

domingo, 24 de junho de 2012

São João e a Política

No dia 24 de junho festejamos, com exuberância de folclore, a festa de São João Batista. É bom ter motivos de alegria, sobretudo os que brotam de longa tradição, como é o caso dos festejos juninos. A alegria dos simples encontra o seu fundamento no Evangelho: "seu nascimento será alegria para todo o povo" (Lc 1,14).

A BÍBLIA afirma que João se retirou ao deserto, mas não para se alienar, ao contrário para ter mais autoridade de fazer os questionamentos que se faziam necessários. Muitos pedem que a Igreja se afaste da política. Há um distanciamento que lhe confere mais autoridade para a palavra que ela tem a dar. Esta será tanto mais vigorosa quanto mais coincidir com as urgências éticas que precisam ser feitas hoje para a toda a sociedade, como foi o projeto "Ficha Limpa".

JOÃO PAGOU com a vida a denúncia corajosa dos desmandos de sua época. Com o vigor de sua autenticidade advertia a todos, alertando para a urgência da mudança de mentalidade e de posturas éticas. Ninguém ficava fora de suas admoestações.

FOI O CONFRONTO com autoridades políticas que levou João Batista ao testemunho radical de sua vida. Diante de Herodes, não teve medo de interpelar sua conduta. Com o dedo em riste, teve a coragem de lhe dizer com clareza: "Não te é lícito!" Assim, colocava com clareza o pressuposto ético, de que a política também precisa ter parâmetros que lhe definem a legitimidade e critérios que lhe apontam os procedimentos. O poder, por sua natureza, mais que qualquer outra situação humana, precisa de balizamento ético.

HOMEM de coragem, João Batista - o maior de todos os profetas - dizia aos cobradores de impostos "Não cobrem nada além da taxa estabelecida". A outros que perguntavam. "E nós o que devemos fazer?" João respondia: "Não maltratem a ninguém, não façam acusações falsas, quem tiver comida, dê a quem não tem". Foi preso e morto porque teve coragem de chamar a atenção do rei Herodes que vivia amasiado com a esposa de seu irmão, uma mulher adúltera, corrupta e corruptora (Mt 14,12).

UMA FOGUEIRA deu a grande notícia do nascimento de João. No Brasil, é necessário acender fogueiras de ética, coragem e esperança. São necessários muitos "João" para que nosso País tenha mais honestidade na vida política. Você pode ser um deles. Deus e nos brasileiros esperamos por políticos e eleitores profetas para a construção de um Brasil melhor.



quinta-feira, 21 de junho de 2012

Projeto que cria o Conselho Municipal de Juventude de Amélia Rodrigues foi aprovado

Membros da Comissão da Criação do Conselho em conversa com prefeito Atonio Paim em Janeiro/2012

O projeto que cria o Conselho Municipal de Juventude de Amélia Rodrigues foi aprovado ontem (19) por unanimidade na Câmara de Vereadores.

O debate sobre o Conselho de Juventude iniciou-se em dezembro com a participação de entidades que representam as diversas juventudes no município e também com a participação do Poder Público, encabeçado pela Diretoria de Juventude.

Em janeiro o prefeito Antonio Paim recebeu numa reunião com Brena Pinto (Diretoria de Juventude), Mário Cesar (CMDCA), Maycon (liderança LGBT), Sara Odwier (estudante da UFRB) e Daniel Amaral (militante na área da cultura) o projeto de Lei da criação do conselho e em seguida foi encaminhou à Câmara de Vereadores

Participaram da construção do Conselho entidades como a Pastoral da Juventude, a Pastoral Universitária, a Associação das Crianças Carentes de Amélia Rodrigues (ACCAR), a Cooperativa dos Trabalhadores Rurais da Comunidade dos Campos, a Lapa FM, o movimento LGBT, representantes do Amélia Handball Clube (AHC), entre outras.

O texto da lei que cria o Conselho Municipal de Juventude (CMJ) foi elaborado coletivamente por todas essas entidades, visando dialogar com diversas representações de juventude e pautando as diversas áreas como cultura, educação, esporte e geração de renda.

A expectativa é que a lei seja sancionada o quanto antes pelo prefeito Antonio Carlos Paim Cardoso, concretizando desta forma, mais um passo à frente para a juventude do município.

Fonte: Site Oficial do CEJUVE (juventude.ba.gov.br)

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Cúpula dos povos: 80 mil pessoas ocupam as ruas do RJ por justiça social e ambiental


Na tarde quarta-feira, 20, cerca de 80 mil pessoas ocuparam, de ponta a ponta, a avenida Rio Branco, principal via do centro do Rio de Janeiro (RJ), para a Marcha da Cúpula dos Povos por Justiça Social e Ambiental – contra a mercantilização da vida, em defesa dos bens comuns.

Vindos de diferentes cantos do planeta, os manifestantes representavam as mais variadas lutas em defesa de um mundo justo e sustentável. Estudantes, servidores públicos, feministas, ambientalistas, trabalhadores, jovens. O tom era de denúncia dos impactos causados pelo atual modelo de desenvolvimento e aos retrocessos que se desenham no Rio Centro, local onde acontece a conferência da ONU – Rio+20.

Apesar das diferenças culturais, ideológicas e políticas entre os participantes, a ideia da urgência em criar alternativas para o mundo, pautadas na democracia radical, proteção do meio ambiente e respeito aos direitos humanos, dava liga à manifestação.

Para chamar atenção e passar suas mensagens, os manifestantes não economizaram na criatividade. Além das tradicionais bandeiras, faixas e batuques, as pessoas trouxeram para as ruas diversas encenações, como a do velório da lei ambiental no Brasil.

Um tema que dominou grande parte das manifestações da marcha foi o novo código florestal. A presidenta Dilma foi duramente criticada pelos vetos considerados insuficientes por muitos grupos presentes. “Temos que debater mais o código. Ainda dá tempo de provocar mudanças e de conseguir o vetar. E isso é fundamental, porque o código representa um retrocesso ambiental”, diz o militante ambiental, Vitor Massao.

Por Rafael Stemberg e Vânia Correia

www.agenciajovem.org

domingo, 17 de junho de 2012

Igreja presente na Conferência Rio+20 e na Cúpula dos Povos

Vinte anos depois da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92), o Rio de Janeiro volta a ser o ponto de encontro para lideranças do mundo inteiro e sediará a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, entre os dias 13 e 22 de junho. Paralelamente a esse grande evento, de 15 a 23 de junho, acontecerá, no Aterro do Flamengo, a Cúpula dos Povos, numa oportunidade para tratar dos problemas enfrentados pela humanidade e demonstrar a força política dos povos organizados. Dentro dessa perspectiva, a arquidiocese do Rio de Janeiro, bem como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) marcam presença ao longo do evento propondo reflexões e debates sobre a integração do homem com o mundo à sua volta.

A Rio+20 também conta com a participação da Santa Sé, que enviou uma equipe para representar o papa Bento XVI. À frente dessa comitiva está o arcebispo de São Paulo (SP), dom Odilo Pedro Scherer. Para ele, esse será um grande desafio, uma vez que a presença da Santa Sé no evento representa a palavra da Igreja.

“É uma tarefa importante porque eu irei integrar e, ao mesmo tempo, chefiar a delegação da Santa Sé, que representa a palavra da Igreja, a posição da Igreja sobre as questões tratadas na Rio+20. No entanto, com grande honra, porque é a oportunidade de apresentar o pensamento da Igreja, que tem uma grande autoridade moral no conselho das nações. Embora o Vaticano seja um Estado pequeno, a sua representatividade é muito grande e importante no âmbito das nações”, disse o cardeal.

A primeira das atividades será no dia 15 de junho, na Tenda da Paz, no aterro do Flamengo, onde haverá uma mesa de diálogo sobre meio ambiente e justiça social.

Dom Odilo ressaltou a forte presença da Santa Sé em eventos promovidos pelas Nações Unidas e outros órgãos internacionais. “Ela tem se feito presente através do Observador Permanente da Santa Sé nas Nações Unidas e por isso também apresenta a Santa Sé em eventos como este, que é a Rio +20. “A Igreja tem um pensamento, um olhar próprio sobre todas essas questões, uma visão sobre o homem, uma visão sobre a economia, cultura, sobre a vida e assim por diante. Portanto, são oportunidades da Santa Sé, em nome da Igreja, de estar colocando a posição, a palavra da Igreja para ajudar a servir e iluminar, e isso faz parte da missão evangelizadora da Igreja”, concluiu.

Fonte: cnbb.org.br

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Bispos tratam da importância da festa de Corpus Christi

No dia 7 de junho a Igreja celebra a festa do Corpo de Deus, mais conhecida como “Corpus Christi”. É uma celebração onde é realizada uma procissão pelas vias públicas, missa, e adoração ao Santíssimo Sacramento, com o objetivo de estimular, entre os diocesanos, o espírito de unidade e fraternidade, por meio do mistério da Eucaristia - o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo. Em artigos publicados no site da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), bispos opinam sobre o real significado da celebração na vida do povo cristão.

O cardeal Odilo Pedro Scherer e arcebispo de São Paulo (SP), em artigo publicado, afirma que Corpus Christi “destaca o dom da Eucaristia e coloca em evidência os mistérios centrais de nossa fé e da vida cristã”.

“Saímos de nossas igrejas e vamos, com Jesus na Eucaristia, para as ruas e praças de nossas cidades, anunciando que ‘Ele está no meio de nós’ e habita conosco e orienta nossa história; nossas atividades cotidianas, nossas ocupações profissionais e responsabilidades sociais, nosso convívio social, nada disso é indiferente à nossa fé: em tudo somos ‘testemunhas de Deus’, discípulos missionários de Jesus Cristo”.

Em artigo intitulado por ‘Festa do Corpo de Deus’, o bispo de Santa Cruz do Sul (RS), dom Canísio Klaus diz que Corpus Christi é uma “manifestação pública de fé, Corpus Christi é a festa da comunhão e da ação de graças. Por meio dela, enquanto se elevam hinos de ação de graças, se expressa também o desejo de viver uma íntima relação com Deus e uma fraterna comunhão com os irmãos”.

Para o arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), dom Orani João Tempesta, a solenidade de corpus Christi traz à tona a reflexão das responsabilidades cristãs, perante à vida e ao evangelho. “É a grande solenidade que nos pergunta sobre o Mistério da presença de Deus na história e em nossa vida. É também uma oportunidade de, nestes tempos de perda de valores, principalmente do esquecimento de Deus, cada um de nós nos recolocarmo a caminho d’Aquele com quem já nos encontramos, mas que necessitamos de continuar buscando-O ainda mais. Esta solenidade coloca-nos no centro e sentido de todas as demais celebrações.”

Tradição

Em 1983, o novo Código de Direito Canônico - canôn 944 – estipulou que fosse mantida a obrigação de manifestar 'o testemunho público de veneração para com a Santíssima Eucaristia' e 'onde for possível haja procissão pelas vias públicas'. Cada diocese se mobiliza para realizar a celebração, por isso cabe aos bispos escolherem de que forma a festa será promovida, para garantir a participação dos diocesanos.

Na data existe a tradição de enfeitar as ruas com tapetes que cobrem o trajeto por onde passará a procissão de Corpus Christi. Feitos com serragem colorida, flores, vidro moído, pó de café e outros materiais, a confecção desses tapetes, de colorido vivo e desenhos de inspiração religiosa, mobiliza grande número de fiéis. Essa procissão do povo de Deus, recorda a busca à Terra Prometida. No Antigo Testamento, esse povo foi alimentado com maná, no deserto, e hoje, é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.

Fonte: cnbb.org.br

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Como foi o 15º Força Jovem?!


A Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Feira de Santana, realizou no dia 27 de Maio, o 15º Força Jovem, através de suas Foranias 4 e 5. Este evento foi realizado na Paróquia Nossa Senhora dos Humildes, no Distrito de Humildes, Feira de Santana, Bahia. Em sintonia com o 10º ENPJ, tivemos como tema "Somos Igreja Jovem", e como sub-tema: "É Missão de todos nós, Deus chama, quero ouvir a sua Voz". Começamos com oficinas e depois seguimos em caminhada pela cidade, para chegarmos à Igreja Matriz, onde tivemos uma Missa celebrada por nosso Padre Referencial da PJ, Julio Santa Bárbara, e concelebrada pelo Vigário, Cristiano Fechine, e pelo Reitor do Seminário Menor, Padre Gilvan. Pela tarde contamos com os shows de João Eudes, o padre do reggae e da banda local Ministério Missão e Resgate. A PJ agradece a todos que contribuiram nesses evento, especialmente o Padre Cristiano e a juventude protagonista do Grupo de Jovens ECV!

Quem quiser dar uma olhada nas fotos, pode olhar:
Site da PJ Nacional
Facebook da PJ Arquidiocese de Feira

Paz e Bem!!

Erik Nascimento - Coordenação da Forania 4
Comunicação e Secretaria Arquidiocesana