quarta-feira, 29 de junho de 2011

Inscrições da Escola da Juventude 2011-2013

Oi galera PJoteira!!!!!!!!!
Anotem os dias que estaremos no Arcebispado para as inscrições da ESCOLA DA JUVENTUDE

INSCRIÇÕES PARA A ESCOLA DA JUVENTUDE

DOM HELDER CÂMARA NO ARCEBISPADO (sala da PJ)


O Arcebispado fica na Av. Getúlio Vargas, em frente a Praça de Alimentação


MANHÃ (09:00 às 11:30)

TARDE (14:30 às 17:00)

06 de JULHO (Quarta-Feira)

05 de JULHO (Terça-Feira)

08 de JULHO (Sexta-Feira)

07 de JULHO (Quinta-Feira)

13 de JULHO (Quarta-Feira)

12 de JULHO (Terça-Feira)

15 de JULHO (Sexta-Feira)*

14 de JULHO (Quinta-Feira)

OBS. O DIA 15/07 (sexta-feira) ainda não tá confirmado para a realização das inscrições neste local, pois é o dia que começa a 1ª etapa.

Quem puder imprimir a Ficha de inscrição e levar já preenchida, a gente agradece.

A taxa de inscrição deverá ser entregue a Cris (Coordenadora da PJ) ou a pessoa que estiver na sala da PJ nestes dias citados acima sob a responsabilidade de realizar as inscrições.

Se alguém quiser se inscrever pela INTERNET, envia a ficha de inscrição preenchida SOMENTE para o meu e-mail (sorrisodivino@hotmail.com) e a taxa (R$ 20,00 por pessoa em cada etapa) entrega na chegada à Chácara dos Jesuítas.

Enviar até o dia 14/07 (quinta-feira).

Enviar a Ficha em anexo, para ficar mais prático, caso agente precise imprimí-las.

Obrigada,

Um grande abraço!!


Vamos lá galera, vamos ajudar a mudar o mundo!!!!!!!!!!


Ass. Cristina Brito (Coordenadora da PJ Arquidiocesana)


quinta-feira, 23 de junho de 2011

Festejar faz bem !

Festas, folclore, casamento caipira e muita alegria. Estes são alguns dos elementos característicos das festas juninas. Cada região acrescenta novos elementos. Permanece, no entanto, o significado geral: são festas tradicionais, muito alegres e que esquentam o frio inverno.

CADA VEZ mais, um maior número de pessoas, sente necessidade de retomar o contato com as manifestações lúdicas e culturais de nossas raízes. A sociedade moderna sufoca o simbolismo e a imaginação. Limita o espírito humano à inteligência racional e desumaniza as relações. As pessoas não dão mais tempo para o convívio. Vão a espetáculos pagos e perdem o gosto da festa.

A VERDADEIRA festa iguala as pessoas e transforma qualquer espectador em protagonista. Isso é humanizante e transformador. Pesquisas revelam que durante as festas juninas o número de crimes e roubos diminuiu sensivelmente. Uma clínica nos Estados Unidos propõe-se a curar doentes com a alegria da festa. Festejar faz bem.

A BASE das expressões religiosas mais antigas é a festa. Como todo casamento se celebra com festa, também a aliança de intimidade com Deus se vive numa festa. Infelizmente, nossos cultos e missas têm perdido o caráter de festa. É importante retomar essa verdade.

TENDO nascido num mundo no qual tudo era religioso, as festas juninas comemoram o nascimento ou o dia da morte de santos como São João Batista, Santo Antônio e São Pedro. A raiz das festas é religiosa, mas hoje, são mais livres e pertencem à cultura popular. Através delas, as pessoas revivem a saudade do mundo rural.

NAS FESTAS juninas, pessoas que em outros momentos não recebem responsabilidade de coordenação, revelam-se capazes de organizar grupos e garantir a participação de todos. Os mais velhos são convidados a entrar na brincadeira e todos revivem a festa das aldeias nas quais as relações eram mais comunitárias e participativas.

A SOCIEDADE hoje, ensina a nos conectar, mas não a nos comunicar verdadeiramente. As religiões e organizações educadoras são chamadas a renovar os valores familiares, da afetividade, dos sentimentos e emoções e a fazer um novo pacto de relacionamento conosco mesmos, com os seres humanos, com o universo e com Deus.


Fonte: Site da Arquidiocese de Feira de Santana

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Igreja celebra a festa de Corpus Christi

corpus_christi2006A Igreja celebra amanhã, 23, em todo o mundo a festa de Corpus Christi ou do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo. A festa remonta ao século XIII e foi instituída pelo papa Urbano IV. Chamam a atenção, em muitos lugares, os tapetes coloridos feitos nas ruas para a procissão com o Santíssimo Sacramento.

Segundo o padre italiano Augusto Bergamini, no livro “Cristo, festa da Igreja – O Ano Litúrgico”, a festa de Corpus Christi “é produto da devoção eucarística medieval ocidental” e surgiu para afirmar a presença real de Cristo na Eucaristia “contra os erros de Berengário de Tours”, sendo estendida a toda a Igreja pelo papa Urbano IV em 1264.

De acordo com Bergamini, a reforma do Vaticano II deu uma denominação mais completa à festa ao mencionar não apenas o Corpo, mas também o Sangue de Cristo.

Fonte: cnbb.org.br

terça-feira, 21 de junho de 2011

Manifestação contra a construção de Belo Monte reúne milhares de pessoas no centro de São Paulo

manifestaoemspCerca de 2 mil pessoas participaram neste domingo, 19, de uma manifestação contra Belo Monte na Avenida Paulista, em São Paulo (SP). Organizado de forma descentralizada por várias entidades autônomas, o protesto, que começou por volta das 14:30h na frente do Museu de Arte de São Paulo (MASP), durou mais de três horas e terminou com a noite já baixando sobre a cidade.

Apesar da animação dos participantes, que trouxeram apitos, tambores e pandeiros, e ocupavam as faixas de pedestre a cada sinal vermelho com cartazes, cantoria e palavras de ordem, a manifestação correu tranquila e contou com auxilio da Policia Militar.

O protesto deste domingo na Paulista foi um recado ao governo, acredita a manifestante Sarah de Castro. “Não engolimos mais os crimes ambientais e sociais em nome do ‘desenvolvimento’. Não quero na minha casa uma energia gerada à custa de vidas alheias.

O governo fique esperto: a população brasileira está acordando, não vai nos enganar com propagandas mentirosas e argumentos fajutos. Precisamos de energia para crescer? Muito bem, que o governo nos consulte sobre isso, porque queremos dizer que tipo de energia aceitamos e onde o governo pode ou não aplicar o nosso dinheiro”.

Fonte: cnbb.org.br

segunda-feira, 20 de junho de 2011

CNBB: “Não temos o direito de subordinar a agenda ambiental à agenda econômica”

Aconteceu, em Brasília, a coletiva de imprensa que marcou o encerramento da reunião do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Os bispos da recém-eleita Presidência da CNBB falaram aos jornalistas sobre o Código Florestal brasileiro, que está em trâmite no Senado, a crescente violência contra pequenos agricultores e assentados no norte do país e sobre a Campanha da Fraternidade de 2012, que tratará da Saúde Pública.

Os bispos aprovaram uma nota sobre o Código Florestal e outra sobre os atos de violência na região Amazônica.

Código Florestal

“Não temos o direito de subordinar a agenda ambiental à agenda econômica”, afirmaram os bispos na nota sobre o Código Florestal.

domleonardojun2011O secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, manifestou a preocupação da Igreja com os impactos e as consequências do novo Código Florestal, que atingirão diretamente as pessoas e o meio ambiente, podendo decidir o futuro, não apenas dos brasileiros, mas da humanidade como um todo. “Sem um cuidado real com a natureza, com as florestas e com as águas nós não teremos futuro. E nós, da CNBB, estamos preocupados com essa relação”, disse o secretário.

Dom Leonardo destacou a criação de um Fórum, organizado por entidades da sociedade civil, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Agência Brasileira de Imprensa (ABI) e a própria CNBB dentre outras entidades, para participar diretamente da reformulação do Código Florestal no Senado, levantando questionamento e debatendo alternativas.

“Todos sabem que há a intenção da sociedade civil em criar um Fórum para acompanhar a discussão no Senado. Esse Fórum está disposto a criar um abaixo-assinado para pressionar o governo a vetar pontos que especialistas em meio ambiente afirmam serem perigosos, como a flexibilização da lei que altera o regramento das Áreas de Preservação Permanente (APPs) e a anistia das multas e penalidades pelas ocupações e desmatamentos em áreas de agropecuária e de alta relevância ambiental. Como Igreja, incentivaremos os fiéis a aderirem a esse abaixo-assinado, pois o novo código florestal não pode faltar com o equilíbrio entre justiça social, economia e ecologia”, disse dom Leonardo, lembrando a atuação da Igreja em outros abaixo-assinados, como o da criação da chamada Lei da Ficha Limpa, que recolheu mais de um milhão de assinaturas em todo o Brasil.

O Conselho Permanente deliberou que a Presidência da CNBB crie uma Comissão, formada por bispos e especialistas, para acompanhar toda a discussão do Código no Senado. O secretário defendeu a participação da Igreja no debate e a necessidade de fazer pressão sobre o Senado. Dom Leonardo lembrou, ainda, que os cientistas não foram chamados ao debate.

Sobre o abaixo-assinado, o presidente, cardeal Raymundo Damasceno, explicou que “cada diocese, cada paróquia mobilizará seus fiéis, à sua maneira, para recolher as assinaturas”.

Violência no norte

Sobre a violência na região Amazônica, que nos últimos meses vitimou vários trabalhadores rurais, pequenos camponeses e lideranças de assentamentos, o presidente da CNBB disse que o governo brasileiro deve tomar todas as medidas cabíveis para evitar os confrontos que estão ocorrendo e proteger as pessoas que estão “marcas para morrer”.

“O Governo deve intervir para que essas mortes, que ocorrem principalmente na região Amazônica, cessem. Não é possível que ainda haja lista de ‘marcados para morrer’. É claro que o Governo Federal já tomou algumas iniciativas, como o envio da Força de Segurança Nacional, mas essas medidas devem ser tomadas preventivamente, antecipadas ao fato, e não após a tragédia acontecer”, destacou dom Damasceno, lembrando o assassinato do casal de ambientalistas no Pará e de agricultores em Rondônia.

Dom Damasceno ressaltou que a nota divulgada pela CNBB, sobre a violência no norte, serve para chamar a atenção do Governo e é um alerta para evitar mais mortes na região. “É uma situação dolorosa para as família, em primeiro lugar, e para a Igreja, defensora da vida, que não tem preço”.

Marcha da Maconha

domraymundodamascenojun2011Perguntado sobre a opinião da CNBB a respeito da liberação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da chamada “Marcha da Maconha”, o cardeal disse que o STF apenas permitiu a manifestação em favor da “descriminalização do dependente da maconha” e que “não fez apologia às drogas”. Ele alertou para que a sociedade fique atenta e não se deixe levar por decisões tomadas sem a opinião das famílias.

“O Supremo não fez uma apologia do uso da maconha. É claro que a Igreja foi e sempre será contra qualquer tipo de droga, a não ser em casos terapêuticos, e, nesse caso, o médico é que decidirá se usa ou não determinada droga em benefício do paciente”, disse.

De acordo com dom Damasceno, ao dependente químico deve ser dado o tratamento para a cura e citou o trabalho feito pela Igreja nesta área, citando a Fazenda Esperança, presente em quase todos os estados brasileiros. “O que não se pode é permitir o tráfico, a produção e a comercialização de drogas”, sublinhou.

Campanha da Fraternidade

Ao falar do tema da Campanha da Fraternidade de 2012 sobre Saúde Pública, dom Damasceno insistiu na necessidade de aplicação correta dos recursos destinados à saúde. Segundo disse, se houver necessidade de mais recursos, caberá ao Governo criar mecanismos para isso, mas “não basta ter recursos, é preciso fiscalizar para que não seja desviado”.

Fonte: cnbb.org.br

sábado, 18 de junho de 2011

Carta das Pastorais da Juventude do Brasil em repúdio à violência promovida pelo DCE da PUC-RS


Brasil, 14 de junho de 2011.

Nós, militantes das Pastorais da Juventude do Brasil (PJ, PJMP, PJR, PJE) manifestamos a nossa solidariedade aos companheiros e companheiras estudantes da PUC-RS que lutam por eleições democráticas e transparentes para o DCE desta Universidade, que foram agredidas/os covardemente por membros desta organização estudantil e também o nosso repúdio por este episódio de violência.

O fato ocorreu na noite do dia 13 de junho de 2011, PUC-RS, quando três estudantes, entre elas Tábata Silveira, militante da Pastoral da Juventude Estudantil, foram agredidas ao protestarem pela ausência de legitimidade do processo eleitoral para o 52º Congresso da UNE. Desde a semana passada, estudantes da PUC-RS vêm se mobilizando para denunciar as fraudes no processo eleitoral do CONUNE, como a impugnação de três chapas, e as agressões físicas e verbais contra mulheres e estudantes, episódios todos praticados pela atual gestão do DCE.

O ato criminoso por parte do DCE, a omissão e conivência dos seguranças da universidade é mais uma expressão de violência contra a mulher. Como mostra o vídeo (http://bit.ly/jCXRtw), Tábata e as demais estudantes foram agredidas fisicamente e verbalmente, de forma covarde.

Em sintonia com a Campanha Nacional Contra a Violência e Extermínio de Jovens, repudiamos este ato desumano, machista e humilhante. Somos contra qualquer tipo de ação violenta, que inferiorize, que humilhe, que exclua, que cause sofrimento na mulher e no homem. Somos a favor de uma realidade de VIDA, de respeito mútuo, de transformação social.

POR DEMOCRACIA E TRANSPARÊNCIA NO DCE PUC-RS!

CHEGA DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER!

CHEGA DE VIOLÊNCIA E EXTERMÍNIO DE JOVENS!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Documentos da época da ditadura militar, preservados pela Igreja, serão publicados pela Unicamp

ditadura-militar-no-brasilMais de 700 processos judiciais da época da ditadura militar no Brasil (1964-1985), muitos dos quais com relatos de tortura em tribunais militares e outros abusos, serão publicados na Internet pela Universidade Estatal de Campinas, a Unicamp, em São Paulo (SP).

Os documentos chegaram ontem, 14, ao Brasil, enviados pelo Conselho Mundial das Igrejas, que os obteve de forma clandestina e os guardava nos Estados Unidos. Representantes da entidade entregaram a documentação ao procurador geral da República, Roberto Monteiro Gurgel Santos, em cerimônia na Procuradoria Regional da República da 3ª Região, em São Paulo.

A reprodução dos papeis começou por iniciativa da advogada Eny Raimundo Moreira e de seus colegas do escritório Sobral Pinto. Entre 1964 e 1979, eles fotocopiaram os autos do Superior Tribunal Militar, aproveitando que a lei permitia que os advogados consultassem os processos durante 24 horas. O objetivo era encontrar informações e evidências de violações aos direitos humanos praticadas por agentes da repressão militar.

Os advogados receberam apoio logístico e financeiro do então arcebispo de São Paulo, cardeal dom Paulo Evaristo Arns, e do reverendo presbiteriano, Jaime Wright, pois no período da ditadura, havia a preocupação com a apreensão do material por parte dos repressores políticos. Os documentos foram microfilmados e remetidos aos EUA.

Foram copiados 707 processos judiciais, que somam cerca de um milhão de cópias em papel e 543 rolos de microfilme. O material serviu de base para o livro "Brasil: Nunca Mais", publicado em julho de 1985, em meio ao processo de democratização do país.

O livro teve 20 reimpressões em seus dois primeiros anos e atualmente está em sua 31ª edição, de 2009.

Fonte: cnbb.org.br

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Juventude será o tema da Campanha da Fraternidade de 2013


Fraternidade e Juventude. Este será o tema da Campanha da Fraternidade de 2013. A escolha foi feita hoje, 15, pelo Conselho Episcopal Pastoral, que está reunido desde ontem na sede da CNBB. O tema foi proposto pelo Setor Juventude da CNBB, que recolheu cerca de 300 mil assinaturas junto aos jovens do Brasil. O lema será escolhido na próxima reunião do Consep.

O Setor da Mobilidade Humana da CNBB apresentou e defendeu o tema do tráfico de pessoa humana e o trabalho escravo. Outros temas foram apresentados, mas não receberam votos.

Esta será a segunda Campanha da Fraternidade sobre a Juventude. A primeira foi realizada em 1992 com o lema “Juventude, caminho aberto”.

A escolha dos temas da Campanha da Fraternidade é feita com antecedência de dois anos.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Dia de Nacional de Oração pela Juventude

Querida juventude brasileira, a vida juvenil pede nossa atenção!

"Eu vim para que todos tenham vida e

a tenham em abundância" (Jo 10, 10)

O próximo dia 15 de junho marca os dois anos de morte do Pe. Gisley Azevedo Gomes, assessor do Setor Juventude da CNBB. A saudade que cada jovem carrega em si pode ser a chance de um novo começo, de continuidade de um projeto que luta pela vida da juventude e que crê em um Jesus Ressuscitado, que renova as estruturas e luta pelo pobre e oprimido. A sua ausência se faz presença no meio da juventude, serve de luz, inspiração e motivação para que cada jovem cultive em si a indignação e se sinta incomodado ao ver tantos outros jovens mortos todos os dias. A Juventude é vida e quer viver! Quer viver um “um novo céu, uma nova terra”(Is 65,17) e construir a Civilização do Amor.

Neste momento em que se mescla ternura e resistência, precisamos nos colocar em movimento, lutando pela vida, contra a violência e extermínio daqueles que como nós, acreditam na juventude. Eis então o convite para celebrarmos juntos, a vida da juventude e a páscoa de um companheiro que caminhou conosco nesta batalha, realizando por meio do ofício que acompanha esta mensagem, o Dia Nacional de Oração pela vida da juventude.

Celebrar a Páscoa é um ato de fé e esperança no novo, na renovação e ao mesmo tempo na libertação da juventude que sofre com as mazelas de seu tempo. Por isso, juntos vamos celebrar a Páscoa de Pe. Gisley e em comunhão, convidamos os jovens de todo Brasil, se colocarem em oração neste dia 15 de junho, após exatos dois anos de sua morte. Celebrando a memória da vida deste eterno acompanhante juvenil, celebraremos a vida da juventude, cantando, rezando, dançando e lutando contra o extermínio de violência de jovens.

Faça este Dia Nacional de Oração pela Vida da Juventude acontecer em cada pedaço deste país e que cada jovem esteja em sintonia e oração.

BAIXE AQUI O OFÍCIO

Vamos juntos, girar o mundo! Rezar e clamar ao nosso amado Deus pela vida da juventude!

Brasil, 11 de junho de 2011.

Pastoral da Juventude

Pastoral da Juventude do Meio Popular

Pastoral da Juventude Estudantil

Pastoral da Juventude Rural

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Oficina de Artes



Pe. Julio Cesar juntamente com a Pastoral da Juventude,

tem a alegria de convidá-lo para participar da 1ª oficina de Artes.

Local: Centro Diocesano de Formação (Papagaio)

Data: 18 e 19 de Junho

Taxa: R$15,00

Resp. pela oficina.: Estudantes de Artes da UFBA

Contato:

Martins 8159-9283

Tarcisio 9971-3782

domingo, 12 de junho de 2011

Bento XVI: "Pentecostes foi o batismo da Igreja"


O Papa Bento XVI rezou ao meio-dia deste domingo a oração mariana do Regina Coeli com milhares de peregrinos reunidos na Praça São Pedro. O papa recordou que a Solenidade de Pentecostes, celebra hoje, conclui o tempo litúrgico da Páscoa. “Foi o batismo da Igreja, o batismo no Espírito Santo”, disse Bento XVI. “A voz de Deus diviniza a linguagem humana dos Apóstolos, que se tornam capazes de proclamar de modo 'polifônico' o único Verbo divino. O sopro do Espírito Santo enche o universo, gera a fé, arrasta a verdade, estabelece a unidade entre os povos”, disse o papa, lembrando a narração de Pentecostes pelos Atos dos Apóstolos.

“O Espírito Santo, ‘que é Senhor, e dá a vida’ - como dizemos no Credo – procede do Pai e do Filho e completa a revelação da Santíssima Trindade. Provém de Deus como o sopro da sua boca e tem o poder de santificar, abolir as divisões, dissolver a confusão causada pelo pecado. Ele, imaterial e incorpóreo, concede os bens divinos, sustenta os seres vivos, para que atuem em conformidade ao bem. Como luz inteligível dá sentido à oração. Dá vigor à missão evangelizadora, faz arder os corações daqueles que ouvem a boa notícia, inspira a arte cristã e a melodia litúrgica”, acrescentou Bento XVI.

O papa afirmou que o Espírito Santo, “que gera a fé em nós no momento do nosso batismo, nos permite viver como filhos de Deus, conscientes e dispostos, segundo a imagem do Filho Unigênito”.
Antes de concluir a oração mariana do Regina Coeli, Bento XVI saudou os peregrinos presentes na Praça São Pedro em várias línguas. Ele recordou que no próximo dia 14 será celebrado o Dia Mundial dos Doadores de Sangue e dirigiu uma saudação a todos os doadores de sangue, convidando os jovens a seguir o seu exemplo.

sábado, 11 de junho de 2011

Cartaz da Escola da Juventude

Segue o cartaz que será utilizado pra anunciar a Escola da Juventude nas paróquias e grupos de jovens de toda a Arquidiocese!! Quem puder colocar nos blogs, sites católicos e tudo mais, ou até imprimir para ajudar a gente, a PJ agradece. É só dar o contato pelo e-mail ou comentário que a gente envia o arquivo!! Paz e Bem!!

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Começa a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2011


A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) começou no último domingo, dia 5. A iniciativa, que tem como principal objetivo reunir irmãos de fé em prol da unidade cristã deve movimentar igrejas em todo o Brasil. O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), em nota assinada pelo seu presidente, o bispo de Chapecó (SC), dom Manoel João Francisco, e pelo secretário geral, reverendo Luiz Alberto Barbosa, anima o engajamento de todas as comunidades na SOUC.

“Queremos convidá-lo, juntamente com a sua Comunidade Eclesial, a realizar conosco a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2011. Como é costume no hemisfério sul, ela vai ser celebrada entre as festas de Ascensão e Pentecostes, um período bem simbólico para as comunidades cristãs e, neste ano, ocorrerá do dia 5 ao dia 12, com o tema “Unidos no ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações” (Cf. Atos 2,42). Somos motivados a fazer desta Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos mais um momento importante na vida do movimento ecumênico brasileiro”, destacou a nota assinada pela presidência do CONIC.

Na opinião do secretário geral, reverendo Luiz Alberto, a SOUC 2011 promete ser um marco. “Estou muito esperançoso de que a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos deste ano será muito positiva. Temos recebido ligações de todas as partes para a obtenção de informações acerca da comemoração. Percebo que o interesse das comunidades em celebrar a SOUC tem crescido ano a ano, fato que nos deixa muito contentes e, ao mesmo tempo esperançosos de, um dia, ver a unidade reinar suprema diante de todo o povo cristão”, afirmou.

“A Semana de Oração 2011, que termina no dia 12, demonstra a unidade, apontando que a fé cristã possui centros comuns como, por exemplo, os Apóstolos, que foram responsáveis por compilar os ensinamentos de Jesus Cristo. Vale lembrar que cada paróquia, região, sínodo, diocese e afins possuem programações específicas para a comemoração da SOUC”, destacou o presidente do CONIC, dom Manoel João Francisco.

No site da Santa Sé, na parte do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, há um subsídio preparado para a Semana 2011, e nele constam textos bíblicos; introdução à celebração ecumênica; roteiro de celebração; reflexões bíblicas e orações para os oito dias; textos históricos; cronologia dos temas das SOUC e outros materiais.

Os primeiros passos para que começasse a ocorrer anualmente a Semana de Oração foi dado há exatamente 101 anos, na cidade escocesa de Edimburgo, quando teve início a Conferência Missionária Mundial, um encontro que tinha como objetivo propor a unidade dos cristãos para a missão. Para povos não cristianizados, era difícil compreender divergências doutrinais entre pessoas que seguiam um mesmo credo religioso, sob a égide de um só Cristo. Daí a proposta de criar uma unidade dialogal entre comunidades cristãs de diferentes tradições teológicas.

O princípio que regia essa ideia, em última análise, era simples: muito mais é o que nos une do que aquilo que nos separa (Mc 9,40). A partir de então, houve um esforço coletivo das igrejas presentes nesta conferência de exaltar o diálogo e minimizar o confronto, pois todos levavam a mesma cruz, o mesmo amor e, consequentemente, compartilhavam um só objetivo: anunciar as boas novas do Salvador (Mt 10,7).

Fonte: Site da CNBB

Criatividade e consciência no uso da internet: é a mensagem do Papa para o Dia Mundial da Comunicações


Com o tema ‘Verdade, anúncio e autenticidade de vida na era digital’, celebra-se domingo, 5 de junho, o 45.º Dia Mundial das Comunicações Sociais.

Todas as dioceses do Brasil receberam da CNBB um livreto com a Mensagem de Bento XVI para a data; uma reflexão do então presidente da Comissão Episcopal para a Educação, Cultura e Comunicação Social da Conferência dos Bispos, Dom Orani João Tempesta; e uma reflexão da jornalista e doutora em comunicação social, a paulina Irmã Joana Puntel, sobre o tema; além de algumas sugestões para a celebração e a animação da data.

Para a assessora de Comunicação Social da CNBB, Irmã Elide Fogolari, “a Igreja precisa fazer da comunicação um meio para que a boa nova de Jesus Cristo chegue a todas as pessoas. O Papa Paulo VI já dizia que se nós não conseguimos compreender a comunicação, fica difícil chegar a todas as pessoas; e vamos nos sentir culpados se a Igreja não usar dos meios de comunicação para a evangelização”.

Em sua mensagem, o papa convida os cristãos a estarem presentes “com criatividade consciente e responsável” na Internet e nas redes sociais, afirmando que estas se tornaram “parte integrante da vida humana”.

“Tal como a revolução industrial produziu uma mudança profunda na sociedade através das novidades inseridas no ciclo de produção e na vida dos trabalhadores, também hoje a profunda transformação operada no campo das comunicações guia o fluxo de grandes mudanças culturais e sociais” - assinala Bento XVI.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais é a única celebração do gênero decidida pelo Concílio Vaticano II (Decreto “Inter Mirifica”, de 1963), e é celebrado na maioria dos países no domingo que antecede a solenidade de Pentecostes.

Leia na íntegra a Mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Socias de Bento XVI

Fonte: Rádio Vaticano