terça-feira, 7 de julho de 2015

Francisco: "Somos todos irmãos, ninguém seja descartado ou excluído"


Quito - A Catedral, separada do Palácio presidencial apenas por um pátio, é um edifício é antigo no Centro histórico da capital, tendo sido completado em 1565. Após a visita ao Presidente da República, o Papa cumprimentou um pequeno grupo de fiéis que estavam em oração diante do Santíssimo e ali permaneceu durante alguns minutos. Ao sair, Francisco se deteve no adro e disse algumas palavras à multidão de pessoas que o aguardavam na Praça da Catedral.   

Palavras espontâneas

O Papa terminou a visita abençoando todos os presentes, suas famílias e pessoas queridas. “Para este grande e nobre povo equatoriano, para que não haja diferenças, exclusões; que não haja descartados, que todos sejam iguais e incluídos; para que ninguém fique fora desta grande nação equatoriana”.
Em discurso preparado e não lido, o Papa afirma ter ido a Quito como peregrino, para partilhar com os equatorianos a alegria de evangelizar. “Saí do Vaticano saudando a imagem de Santa Mariana de Jesus, que, no exterior da abside da Basílica de São Pedro, vela pelo caminho que o Papa percorre tantas vezes”, lembra. 
Mencionando como exemplo as equatorianas Santa Narcisa de Jesus e a Beata Mercedes de Jesus Molina, o Papa enaltece aqueles que sofrem ou sofreram a orfandade, quantos tiveram que cuidar de irmãos ainda pequenos e aqueles que se empenham diariamente no cuidado dos enfermos ou idosos; como também o fez Mariana e a imitaram Narcisa e Mercedes. 
Segundo Francisco, “isso não é difícil, se Deus estiver conosco...  É a alegria de evangelizar e, uma vez que soubermos disto, seremos felizes se o pusermos em prática”. 

Fonte: Rádio Vaticano

Nenhum comentário:

Postar um comentário