sábado, 23 de abril de 2011

Ele ressuscitou e vai à vossa frente para a Galiléia.


O mistério pascal é o centro de nossa fé cristã. É o ápice do Tríduo Pascal e de toda a Semana Santa. Preparamo-nos durante toda a quaresma e os Dias Santos para esse momento culminante: a Páscoa. Páscoa quer dizer “passagem”. Deus se faz humano e passa entre a humanidade. A humanidade, antes escravizada, é liberta passando o Mar Vermelho e proclamando a independência do Povo de Deus. Assim Cristo continua a tradição profética passando da morte à Vida.

Na vigília pascal fazemos memória da salvação, desde a criação, passando pelo ato de libertação no Mar Vermelho, até o anúncio da ressurreição de Cristo. Jesus foi morto por um sistema político injusto e opressor. Mas Deus o ressuscitou. É o momento da passagem da tristeza para a alegria, da maldade para a graça, da escravidão à liberdade, do ódio ao amor, do temor à segurança, das trevas à luz, da morte para a vida.

Segundo o evangelista Mateus, depois da crucificação, quando Maria e Maria Madalena foram ver o corpo de Jesus, um anjo apareceu pedindo que não tenham medo, pois Cristo estava vivo. Havia ressuscitado dos mortos e estava indo a frente para Galiléia. Sendo assim elas deixaram o sepulcro, mas logo encontraram Jesus que disse: “Alegrai-vos! Não tenhais medo. Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galiléia. Lá eles me verão.” E assim elas fizeram.

Vencendo a morte, Cristo se fez presente naquele momento, e se faz presente até hoje na comunidade através do mistério da comunhão. Pela fé e pelo batismo, o cristão deve participar dessa mística, dessa morte e ressurreição. É preciso morrer para participar da Vida. Ou melhor, é preciso passar por uma transformação radical, rompendo com tudo o que gera injustiça e morte, assim ressuscitando para uma vida nova, onde seremos homens e mulheres novos/as, a fim de construir uma sociedade justa e fraterna que promova a vida, que na PJ chamamos carinhosamente de Civilização do Amor.

Esta é a verdade central de nossa fé. E devemos ser propagadores do anúncio da ressurreição. Devemos continuar a expressar esta verdade, transformando o medo da morte na alegria da vida. Transformando o mundo em que vivemos em um lugar melhor. Combatendo toda forma de injustiça e opressão. Lutando contra a violência e o extermínio de jovens. Assim como Jesus, devemos também fazer esta passagem, esta Páscoa.


Cantem céus e terra, céus e terra cantem: Cristo, Jesus, O Ressuscitado!


Autor/Fonte: Walkes Vargas - Coordenador Nacional da PJ - Oeste 1


Fonte: pj.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário