terça-feira, 21 de abril de 2015

Reta final para recolher assinaturas pela Reforma Política



Temos até o final do mês de abril para recolher as assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular, puxado pela CNBB, OAB, e outras 100 entidades da sociedade civil, entre estas, pastorais, sindicatos e movimentos sociais. Para poder contribuir é só assinar a lista, onde é necessário preencher o campo com o nome (em letra de forma), colocar as suas informações eleitorais, e colocar o nome da mãe (também em letra de forma). E para ajudar ainda mais, com a coleta de assinaturas de outras pessoas, é só baixar a ficha no link: http://www.reformapoliticademocratica.org.br/assine/

Provavelmente o tema reforma política será analisado em junho, pelo Congresso Nacional, sendo assim a Coalizão Democrática pela Reforma Política quer recolher todas assinaturas e entregá-las ao Congresso no mês de maio. Abaixo, um texto retirado do site oficial da Reforma Política Democrática, que pode nos ajudar a entender a proposta: 

O projeto de iniciativa popular da Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas apresenta uma proposta de representação política mais identificado com a maior parte da sociedade.
Os quatro pontos principais desta proposta são:
  1. Proibição do financiamento de campanha por empresas e adoção do Financiamento Democrático de Campanha;
  2. Eleições proporcionais em dois turnos;
  3. Paridade de gênero na lista pré-ordenada;
  4. Fortalecimento dos mecanismos da democracia direta com a participação da sociedade em decisões nacionais importantes;
Se pararmos para pensar um pouco vamos perceber que a baixa qualidade do transporte público, a crescente violência urbana, a deficiência na educação, a precariedade da saúde pública, a carência de esporte e lazer para a juventude e a falta de terra para os trabalhadores que precisam são alguns dos inúmeros problemas sociais que a sociedade brasileira sofre há muito tempo.
Por que tais problemas nunca são resolvidos? Porque a solução deles depende da aprovação de muitas reformas como a reforma urbana, a reforma agrária, a reforma tributária e a reforma política. Todas elas precisam ser aprovadas no Congresso Nacional do Brasil.
Mas o Congresso impede que tais reformas sejam aprovadas. Isto porque parte dele representa os interesses de uma pequena parte da sociedade que financia as campanhas eleitorais, ou seja, de algumas poucas empresas. Assim, as necessidades da maior parte da população nunca são atendidas de verdade.
É isso que causa grande parte da corrupção política gerando inclusive a atual crise de representatividade no País. Só com uma Reforma Política Democrática será possível superar tais problemas que degradam a democracia brasileira.
Fonte: Coalizão Democrática pela Reforma Política e Eleições Limpas

Nenhum comentário:

Postar um comentário