terça-feira, 15 de novembro de 2016

PJ NE3 expressa apoio às ocupações de escolas e universidades


Resultado de imagem para ocupações nas escolas bahia
A Pastoral da Juventude do Regional Nordeste 3 (Bahia e Sergipe) vem por meio desta carta, expressar seu apoio, sintonia e encorajamento às juventudes que estão participando direta e indiretamente das ocupações das escolas e universidades, demonstrando luta e resistência frente à onda de retrocessos que ameaçam a qualidade da nossa educação (reforma do ensino médio e PEC 241 (atual PEC 55). Repudiamos os ataques e ameaças midiáticas em que os movimentos sociais e movimentos estudantis vêm sofrendo, por estarem organizados e em manifestação pela garantia dos nossos direitos. Esses movimentos lutam historicamente e são responsáveis por diversos direitos que hoje possuímos, não podemos nos omitir e/ou perder de vista o objetivo coletivo que deve sobressair aos interesses individuais que impedem e comprometem a ampliação de melhorias em nossa sociedade.
Acreditamos, que a proposta de reforma do ensino médio (via medida provisória) e PEC 241, assim como todo o projeto Temer de gestão, a saber reforma trabalhista e previdenciária por exemplo, não favorecerá o desenvolvimento do nosso país, pois compromete o acesso aos direitos duramente conquistados e garantidos até então pela Constituição Federal de 88. Educação e Saúde não são gastos, são na verdade investimentos, principalmente quando se fala dos setores que atendem especificamente os brasileiros mais pobres, como é o caso do setor público. Cortar verbas da educação pública é uma afirmação clara de que se pretende criar uma sociedade com maiores índices de desigualdade e pobreza, a saída da crise deveria ser mais verba para educação das nossas crianças e jovens.
Reafirmamos nosso compromisso, na defesa pela garantia dos direitos à todos e todas. Como cristãos e cristãs não podemos nos silenciar diante desse cenário de ataque sobretudo, aos mais empobrecidos. A precarização e sucateamento da coisa pública só crescerá se não ousarmos lutar. É preciso se posicionar, pois não fazê-lo é apoiar o sistema opressor, que já muito têm nos ferido. Iluminados/as pela passagem do evangelho que anuncia: “bem aventurados os que tem fome e sede de justiça, pois serão saciados (MT 5, 6), afirmamos que o nosso lado é o dos que estão sendo perseguidos, presos e mortos nas reivindicações e também ao lado daqueles/as que estão nas ocupações lutando contra todo tipo de poder que tenta intimidar e calar.


– Coordenação da Pastoral da Juventude – Regional NE3
– Assessoria da Pastoral da Juventude – Regional NE3

Nenhum comentário:

Postar um comentário