sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Repleta de jovens: Praça de Cibeles recebe Bento XVI, na JMJ

jmj_chegadapapa2
Desde a manhã da quinta-feira (08), os jovens ocupavam as ruas nas quatro direções da Praça de Cibeles. Às 17h, todos os espaços estavam lotados e os jovens peregrinos se aglomeravam para tentar ver ao menos um pedaço do papamóvel. Bento XVI, após receber as chaves da cidade de Madri, cerimônia que se deu na Porta de Alcalá, um dos maiores símbolos representativos de Madri, passou pelos corredores saudando os jovens, que mantinham suas bandeiras apontadas ao céu.

"Esta é a juventude do papa!". Assim gritavam os jovens do mundo inteiro, em espanhol, para receber o Santo Padre. Após o roteiro de entrada, o papa chegou ao palco preparado para a recepção e pronunciou um discurso, afirmando que Cristo é o amigo que não engana e com o qual devemos compartilhar o caminho de nossas vidas.

Palavra do papa

"Bem sabeis que, quando não se caminha ao lado de Cristo, que nos guia, extraviamo-nos por outra sendas como a dos nossos próprios impulsos cegos e egoístas, a de propostas lisonjeiras mas interesseiras, enganadoras e volúveis, que atrás de si deixam o vazio e a frustração" - destacou.

“Há palavras que servem apenas para entreter, e passam como o vento; outras instruem, sob alguns aspectos, a mente; as palavras de Jesus, ao invés, têm de chegar ao coração, radicar-se nele e modelar a vida inteira”.

Bento XVI prosseguiu afirmando que “o Mestre que fala não ensina algo que aprendeu de outros, mas o que Ele mesmo é, o único que conhece verdadeiramente o caminho do homem para Deus, pois foi Ele que o abriu para nós, que o criou para podermos alcançar a vida autêntica, a vida que sempre vale a pena viver em todas as circunstâncias e que nem mesmo a morte pode destruir”.

cibeles2aO Evangelho continua explicando estas coisas com a sugestiva imagem de quem constrói sobre a rocha firme, resistente às investidas das adversidades, contrariamente a quem edifica sobre a areia, talvez numa paisagem paradisíaca, poderíamos dizer hoje, mas que se desmorona à primeira rajada de ventos e fica em ruínas.Mas – ressalvou o pontífice – “Edificando-a sobre a rocha firme, a vossa vida será não só segura e estável, mas contribuirá também para projetar a luz de Cristo sobre os vossos coetâneos e sobre toda a humanidade, mostrando uma alternativa válida a tantos que viram a sua vida desmoronar-se, porque os alicerces da sua existência eram inconsistentes: a tantos que se contentam com seguir as correntes da moda, se refugiam no interesse imediato, esquecendo a justiça verdadeira, ou se refugiam em opiniões pessoais em vez de procurar a verdade sem adjetivos”.

Enfim, sugeriu aos jovens: “Sede prudentes e sábios, edificai as vossas vidas sobre o alicerce firme que é Cristo. Esta sabedoria e prudência guiará os vossos passos, nada vos fará tremer e, em vosso coração, reinará a paz. Então sereis bem-aventurados, ditosos, e a vossa alegria contagiará os outros. Perguntar-se-ão qual seja o segredo da vossa vida e descobrirão que a rocha que sustenta todo o edifício e sobre a qual assenta toda a vossa existência é a própria pessoa de Cristo, vosso amigo, irmão e Senhor, o Filho de Deus feito homem, que dá consistência a todo o universo. Ele morreu por nós e ressuscitou para que tivéssemos vida, e agora, junto do trono do Pai, continua vivo e próximo a todos os homens, velando continuamente com amor por cada um de nós.

O peregrino alemão, Toby Billon, espera, com a chegada do papa, muita amizade, divertir-se e celebrar a paz com todos os jovens na Espanha. Padre Simon Wilson, de Curaçao, pensa que a chegada do papa enche a Espanha de esperança e contagia a todos os corações com a mensagem do Evangelho. Para ele, “a JMJ é uma festa muito bonita que ganha mais sentido na presença do Pontífice”. Já Sara Guerreiro, de Portugal, espera melhorar sua fé, e o que mais a impressiona é a força que a Igreja tem de reunir tantas pessoas em torno de uma só causa. “Eu não esperava tanta união, e nem ver tanta gente que professa a mesma fé que eu”, afirma.

Após a homilia de Bento XVI, jovens fizeram algumas intenções em francês, suaili, espanhol, árabe e italiano e o papa encerrou o encontro com a sua benção.

Fonte: jovensconectados.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário