terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Após refúgio, D. Pedro Casaldáliga retorna para região de conflito de MT


O bispo emérito de São Félix do Araguaia (MT), dom Pedro Casaldáliga, 84, retornou a Mato Grosso após três semanas escondido em Goiás devido a ameaças de morte.
A informação é de Daniel Carvalho e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 09-01-2013.


O bispo defende o direito de posse dos índios xavantes sobre a terra indígena Marãiwatsédé, no nordeste do Estado. Por isso, estava sendo ameaçado por posseiros.

Os não índios foram obrigados pela Justiça, em novembro, a desocupar a área de 165 mil hectares em que viviam desde 1992.

O padre Paulo Santos, assistente do religioso que se refugiou com ele, disse à Folha que ambos retornaram a São Félix no dia 29. Eles haviam ido para Goiás em 7 de dezembro, após recomendação do governo federal.

A volta de Casaldáliga foi discutida com representantes do governo. A decisão levou em conta o apaziguamento da situação na região.

A Secretaria-Geral da Presidência da República diz não haver mais resistência. As poucas famílias de não índios remanescentes aguardam caminhões de mudança.

Segundo Santos, dom Pedro Casaldáliga recusou a oferta de segurança feita pelo Planalto no refúgio e no trajeto de volta e só dará entrevistas quando a situação estiver resolvida.

"A gente quer evitar qualquer impasse nesse momento", disse o padre, referindo-se à retirada de posseiros.

Santos não quis informar em que cidades se esconderam, pois teme necessitar novamente de refúgio.

Ele diz que as ameaças - que são investigadas pela Polícia Federal- não foram feitas diretamente ao bispo.

Fundador da Comissão Pastoral da Terra e do Conselho Indigenista Missionário, o bispo ganhou notoriedade internacional ao denunciar atos de madeireiros, policiais e grandes proprietários rurais no regime militar, época em que os xavantes foram expulsos de suas terras.

Fonte: ihu.unisinos.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário