sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Missão para libertar

O mês de outubro é, para a Igreja Católica em todo o mundo, o período no qual são intensificadas as iniciativas de informação, formação, animação e cooperação em prol da Missão universal. O objetivo é despertar a consciência, a vida e as vocações missionárias, bem como realizar a Coleta no Dia Mundial das Missões, penúltimo domingo de outubro (este ano dias 18 e 19). As ofertas são utilizadas para sustentar atividades de promoção humana e evangelização em todo o mundo.
Na Quaresma, a Igreja no Brasil já se questionou, por meio da Campanha da Fraternidade, sobre a realidade do tráfico humano. A Campanha Missionária 2014 retoma essa reflexão ao propor o tema “Missão para libertar”, e o lema: “Enviou-me para anunciar a libertação” (Lc 4, 18).
Hoje, as vítimas do tráfico humano representam a escravidão moderna. O conceito de tráfico humano, com seus desdobramentos, inclui o tráfico para a exploração do trabalho; para a exploração sexual; para a extração de órgãos; e tráfico de crianças e adolescentes. Por isso, o tema “Missão para libertar” surge hoje como um grande desafio para a evangelização e exige ações concretas em perspectiva universal.
Em uma sinagoga de Nazaré, Jesus inaugura seu ministério recordando a profecia de Isaías: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu e enviou-me para anunciar a boa-nova aos pobres...” (Lc 4, 18). E continuou: “para pôr em liberdade os cativos...” (Lc 4, 19). Essa passagem inspira o lema da Campanha Missionária: “Enviou-me para anunciar a liberdade”. Essa missão libertadora vem do Deus da vida, pois é conferida a Jesus pelo próprio Espírito do Senhor, por quem já fora ungido como o messias por ocasião do seu batismo (Lc 3,22).
A missão do Messias é de esperança de vida digna, especialmente para quem sofre algum tipo de escravidão. Hoje, Jesus nos desafia a assumirmos essa mesma “Missão para libertar”. Nesse sentido, a Campanha Missionária 2014 nos pede uma postura diante da escravidão do tráfico humano em suas diversas expressões. Olhando para essa realidade à luz da Palavra de Deus, vemos que essa missão continua urgente e sem fronteiras.
Todas as famílias e comunidades são convidadas a viverem com maior intensidade o Mês das Missões. Com isso, a nossa Igreja no Brasil se fortalece e se abre com maior generosidade para a Missão Universal além-fronteiras, conforme o apelo do papa Francisco, “não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário!” (EG 80)
Fonte: Pontifícias Obras Missionárias

Nenhum comentário:

Postar um comentário