quarta-feira, 10 de junho de 2015

PJ lança cartilha sobre a 3ª Conferência Nacional de Juventude

siteCONFJUV
Não é mais novidade que 2015 é o ano da 3ª Conferência Nacional de Juventude (ConfJuv). Ela foi convocada pela presidenta Dilma Rousseff no dia 28 de abril de 2015, e tem como tema “As várias formas de mudar o Brasil”. O período de duração desse processo começou em maio, e vai até dezembro. Todo o processo de preparação para a etapa nacional está contido no Regimento Interno, aprovado pela Comissão Organizadora Nacional (CON). Um dos objetivos da 3ª ConfJuv é ampliar a participação das juventudes a partir das suas várias formas de expressão, além de debater e aprovar o Plano Nacional de Juventude para os próximos 10 anos.
A Pastoral da Juventude quer novamente ter e deixar sua marca nesse processo. Há poucos dias, divulgamos nossa logomarca, e hoje, divulgamos essa cartilha que contém várias orientações sobre nossa participação na 3ª ConfJuv. Nela, apresentamos uma breve linha histórica sobre as Políticas Públicas de Juventude no Brasil, o que é e o que propõe a Comissão Organizadora Nacional para a ConfJuv, como iremos nos posicionar e participar nesse tempo, bem como quais serão as bandeiras que assumimos enquanto PJ. Também trazemos vários elementos visando empoderar mais ainda os grupos e as coordenações.
“É muito importante que, enquanto jovens protagonistas e enquanto militantes da Pastoral da Juventude, participemos desse processo da Conferência Nacional, somando nossas ações a tantas outras que acontecem pelo Brasil. Sabemos que muito temos a contribuir nessa discussão, e que o Projeto do Reino nos provoca a não nos ausentarmos do debate e da construção. Queremos um país que dê lugar a todos e a todas, que coloque a juventude e todo o seu povo no centro”, lembra a secretária nacional da PJ, Aline Ogliari.
Daniel Seidel, membro da Comissão Brasileira de Justiça e Paz da CNBB, e quem revisou a cartilha, parabeniza a PJ pela iniciativa de mobilizar a participação da PJ na 3ª Conferência Nacional da Juventude. Para Daniel, “este é o protagonismo colocado em prática: lutar pela conquista de direitos para as juventudes no Brasil, que menciona também o Papa Francisco: “O grande risco do mundo atual, com sua múltipla e avassaladora oferta de consumo, é uma tristeza individualista que brota do coração comodista e mesquinho, da busca desordenada de prazeres superficiais, da consciência isolada. Quando a vida interior se fecha nos próprios interesses, deixa de haver espaço para os outros, já não entram os pobres, já não se ouve a voz de Deus, já não se goza da doce alegria do seu amor, nem fervilha o entusiasmo de fazer o bem” (Evangelli Gaudium, nº 02). Ele conclui dizendo que “a doce alegria se encontra no serviço, principalmente aos jovens mais empobrecidos, vítimas da discriminação e de violências. Sigam adiante, rompendo barreiras e construindo pontes”.
É importante que essa cartilha chegue a todos os grupos de base e lideranças, especialmente àquelas que estarão contribuindo com a organização de alguma das etapas.
Façamos ressoar!
Tamo junto pra mudar o Brasil!
Fonte: Pastoral da Juventude Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário