segunda-feira, 3 de junho de 2013

Escutar – atitude do Mestre e do Discípulo/a





“Marta, Marta!
Você se preocupa e anda agitada com muitas coisas.
Porém, uma só coisa é necessária.
Maria escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada.”
[Lucas 10,41-42]


Estamos a caminho. Nosso horizonte é Jerusalém. Não podemos fugir. Deus nos deu a graça de fazer essa caminhada. Cheia de sinais. Cheia de vida. Cheia de cheiros. Nesse ano, vivendo o processo de revitalização das Pastorais da Juventude da América Latina e Caribe, caminhamos por Betânia. Esse mês, leva-nos a encontrar com Marta, Maria e com Jesus. Faz descobrir, com elas, que só uma coisa é necessária, é da essência. Mas, o que é necessário? Esta pergunta deve ser feita neste tempo de revitalização? O que é o necessário no serviço à juventude?

Contemplar este encontro entre Jesus, Marta e Maria provoca que nós, Igreja Jovem do Continente. Pensemos um elemento, que é extremamente necessário no serviço à juventude. A fala de Jesus nos desafia a pensar na ESCUTA. As Pastorais da Juventude tem escutado o Senhor? Tem escutado a Palavra? Tem escutado Deus falar nos/as jovens? Qual o espaço da escuta dentro das PJs? Os/as jovens tem sido escutados? Os assessores/as tem sido escutados? Os grupos de jovens tem sido espaço de escuta da vida da juventude? A Igreja tem escutado a juventude? A Igreja tem escutado os clamores juvenis? Estamos atentos ao essencial e necessário?
Todos/as nós precisamos ter alguém que nos escute. Mas, não uma escuta de faz de conta. Uma escuta com o corpo, com a vida. Uma escuta de acolhida, sem juízo, sem valor. Uma escuta incondicional. Para se colocar a serviço da escuta precisamos, inicialmente, estar a disposição para tal atitude. Mais do que uma atividade, isso é um “jeito de ser” de respeito e atenção ao outro e a outra.
Essa escuta aprendemos do Mestre. Aprendemos de sua humanidade e divindade. Aprendemos Dele e descobrimos com Ele, em Betânia, que a escuta é necessária. E seguindo-O devemos nos colocar a escutar os/as jovens. A fantástica obra Civilização do Amor – Projeto e Missão, o documento mais oficial da Pastoral da Juventude na América Latina, neste momento, ajuda-nos a compreender a dinâmica da escuta a partir de Jesus: “Jesus não só instrui, mas ensina a aprender. O discípulo vai se configurando com a ajuda da escuta e da ação [...]. A escuta do discípulo implica uma sequência de práticas: ouvir – fazer – guardar. A Pastoral Juvenil se configura com o Mestre se estiver em atitude de escutar, assimilar e por em prática as suas orientações. Este processo de escuta – ação é a imitação do Filho que escuta o Pai e realiza as obras queridas por Ele [n. 686].”
Talvez se esconda na ESCUTA o segredo da assessoria. Um bom assessor/a é quem se coloca a escutar. Igualmente esteja aí o segredo do grupo de jovens. Se o grupo é lugar de escuta da vida da juventude, o grupo se fortalece, cresce. Escutar os gritos da juventude onde moramos se trata do exercício inicial de qualquer atividade que fazemos em prol deles. Escutar, escutar...
Podemos dizer que é urgente a atitude de Maria para as Pastorais da Juventude em processo de revitalização: “sentou-se aos pés do Senhor e ficou escutando a sua Palavra” (Lucas 10,39). Tantas vezes nas ocupações diárias e em tantas acusações que chegam, podemos correr o perigo de não escutar o Mestre e escutar apenas aquilo que machuca, que dói. É preciso estar atentos. É preciso escolher a melhor parte. O exemplo dos profetas e dos mártires nos engrandece. O sangue derramado e as falsas acusações são parte integrante daqueles que se dedicam a escutar sem medida o grito dos caídos.
Betânia nos convoca à Escuta. O Senhor nos envia a Escutar. Aceitamos esse convite-envio?
Com o cheiro nem sempre agradável da escuta, caminhamos, na certeza de que um dia não haverá mais morte e extermínio de jovens.

Pe. Maicon André Malacarne – Assessor da PJ na Diocese de Erexim/RS
Luis Duarte Vieira – Militante da PJ e noviço admitido à Companhia de Jesus

Ilustração de cenas bíblicas Africanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário