domingo, 13 de abril de 2014

CNBB e Cáritas realizam hoje a Coleta Nacional da Solidariedade

Gesto 2014
Neste domingo, dia 13 de abril, a Igreja Católica celebra o Domingo de Ramos. Cristãos e cristãs de todo o Brasil relembram a chegada de Jesus Cristo em Jerusalém em um momento de reflexão, de orações e doações. É durante o Domingo de Ramos que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceira com a Cáritas Brasileira, realiza a Coleta Nacional da Solidariedade em todas as dioceses, paróquias e comunidades.
Frutos dessa coleta nascem dos Fundos Nacional e Diocesanos de Solidariedade, instituídos em 1999 como parte das Campanhas da Fraternidade. Voltados para o apoio a projetos sociais, os fundos são compostos da seguinte maneira: 60% do total da coleta permanecem na diocese de origem e compõe o Fundo Diocesano de Solidariedade e 40% são destinados para o Fundo Nacional de Solidariedade.
O Fundo Nacional da Solidariedade, mais conhecido como FNS, é administrado pela Cáritas Brasileira e até hoje apoiou de 2.672 mil projetos em todo o país, beneficiando cerca de cem mil pessoas.
O Domingo de Ramos marca a abertura da Semana Santa em preparação à Páscoa. A Coleta Nacional faz parte da Campanha da Fraternidade que este ano tem como tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou”.
Conheça a história de um dos beneficiários.
Doações que reciclam
catadores2Em Limoeiro do Norte, Ceará, um grupo de catadores com o nome de Cataforte, junto com a Cáritas Diocesana de Limoeiro, conseguiram a aprovação de um projeto. Este projeto proporciona a formação, organização e mobilização dos catadores e catadoras da região do Vale do Jaguaribe. O objetivo principal era a estruturação e organização do grupo, em relação à gestão, comercialização da produção, conscientização política, e formação ambiental.
Houve participação de 200 pessoas, entre catadores e catadoras e seus familiares, dos municípios Limoeiro, Quixeré, Russas e Aracati, que têm como única fonte de renda o trabalho da coleta nos lixões e ruas das cidades. Os grupos são acompanhados pela Cáritas Diocesana de Limoeiro do Norte desde a década de 80 por causa dos vários problemas sociais como exclusão, falta de oportunidades de emprego e renda.
Há mais de 20 anos alguns deles enfrentam a rotina diária do lixão. Suas mãos habilidosas, em uma árdua tarefa diária, coletam e separam o que a sociedade Jaguaribana descarta. Com esse trabalho criaram os filhos, e alguns criam até os netos. Os grupos e suas famílias trabalham em situação de risco social e em sua grande maioria não dispõe de nenhum benefício dos governos: federal, estadual ou municipal.
A Cáritas Diocesana de Limoeiro ajudou o projeto juntamente com o apoio das Prefeituras Municipais envolvidas, que se propuseram a assumir a inclusão dos catadores e catadoras nos sistemas municipais de coleta de lixo além das formações sobre gestão, comercialização, e formação de cooperativa em parceria com a Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes).
Ao fazer uma doação para a Coleta, a esperança de ter seu sustento garantido por meio de projetos autosustentáveis se transforma em uma luz no fim do túnel para toda a população que tem nestas atividades, sua subsistência.
Assessoria de Comunicação Cáritas Brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário